Fundo da ONU visita Piauí para acompanhar projeto de apoio a pequenos agricultores

Representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas reuniram-se na segunda-feira (16) com oficiais do governo do Piauí para abordar a implementação do Projeto Viva o Semiárido, uma iniciativa que visa fortalecer o negócio de pequenos agricultores no estado.

O oficial de projetos do FIDA no Brasil, Hardi Vieira, ressaltou os avanços da iniciativa, que está implementando 211 ações de inclusão produtiva, com recursos aplicados em áreas como ovinocaprinocultura, avicultura, cajucultura, fruticultura, psicultura e mandiocultura.

“Vimos também a importância de investimentos mistos que incluem, por exemplo, reuso de água, quintais produtivos e pequenas criações na implementação e no envolvimento, principalmente de mulheres”, destacou o oficial.

A iniciativa conjunta estimula o desenvolvimento de regiões rurais em 58 municípios do estado. Foto: Governo do Piauí

A iniciativa conjunta estimula o desenvolvimento de regiões rurais em 58 municípios do estado. Foto: Governo do Piauí

Representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas reuniram-se na segunda-feira (16) com oficiais do governo do Piauí para abordar a implementação do Projeto Viva o Semiárido, uma iniciativa que visa fortalecer o negócio de pequenos agricultores no estado.

A missão cumpre agenda no Piauí até a sexta-feira (20). Houve reuniões em Teresina (PI) entre o secretário de estado da Agricultura Familiar, Hébert Buenos Aires, e o oficial de projetos do FIDA no Brasil, Hardi Vieira, e seis integrantes da equipe.

O objetivo dos encontros foi fazer um balanço do que já foi implementado este ano, preparar novas ações e delinear recomendações e prioridades para 2020. Segundo o secretário de Agricultura Familiar, a reunião também serviu para determinar onde serão aplicados os recursos remanescentes.

As equipes também trabalham em um novo projeto de desenvolvimento do Piauí, denominado Piauí Sustentável e Inclusivo, que terá financiamento de 150 milhões de dólares por parte do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A carta-consulta já foi elaborada e enviada ao Ministério da Economia, de acordo com o secretário estadual.

“Essa equipe estará em campo visitando os locais onde terão, principalmente, as obras maiores, que são as 15 barragens, já levando as informações básicas para o desenho do projeto que estamos propondo”, disse superintendente da Secretaria de Agricultura Familiar, Francisco das Chagas Ribeiro.

“Já tivemos uma consultoria aqui que nos ajudou a produzir a carta-consulta aprovada pela grupo técnico da Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex) e que deverá ser aprovada pelo plenário da comissão, responsável por dar o aval para o acordo de empréstimo”, completou.

Hardi Vieira ressaltou os avanços do Projeto Viva o Semiárido, que está implementando 211 iniciativas de inclusão produtiva no Semiárido do estado, com recursos aplicados nas diversas áreas como ovinocaprinocultura, avicultura, cajucultura, fruticultura, psicultura e mandiocultura.

“Vimos também a importância de investimentos mistos que incluem, por exemplo, reuso de água, quintais produtivos e pequenas criações na implementação e no envolvimento, principalmente de mulheres”, destacou o oficial.

Projetos especiais que tratam da agricultura biosalina estão sendo implementados em parceria com o Programa Água Doce (PAD). Foi reforçado o engajamento de comunidades e povos tradicionais e dos jovens nas atividades do projeto.

No segundo semestre do ano, houve apoio direto do Projeto Viva o Semiárido à Rota do Cordeiro e Rota do Mel, realizada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), em parceria com o Programa Semear Internacional (PSI).

“O Piauí foi selecionado de modo que as experiências do projeto ficaram mais conhecidas, e os participantes ficaram muito impressionados, principalmente com as ações desenvolvidas com a Associação dos Criadores de Ovinos e Caprinos do Município de Betânia do Piaui (Ascobetânia) e com a Cooperativa dos Produtores e Produtoras Rurais da Chapada Vale do Rio Itaim (Coovita), que estão se transformando em referência nacional e internacional”, disse Vieira.

Fonte: Governo do Estado do Piauí