Fundo da ONU discute questões populacionais e presta homenagem a Marielle em Brasília

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Com o intuito de discutir os desafios da pauta populacional, o evento “I Diálogos Brasileiros em População e Desenvolvimento – Marielle Franco, presente” iniciou suas atividades na quarta-feira (4) em Brasília (DF). O debate foi aberto pela ex-presidente da Comissão Nacional de População e Desenvolvimento e conselheira do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Elza Berquó, que falou sobre a atual conjuntura sociopolítica do país e a importância de abordar a situação dos refugiados em âmbito mundial.

O evento também prestou homenagem à vereadora Marielle Franco, assassinada mês passado no Rio de Janeiro. “Marielle foi um marco pela sua participação, renovação e nos lembra as bandeiras da ONU perante o combate ao racismo, ao machismo e a todas as opressões”, disse o representante do UNFPA Brasil, Jaime Nadal.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com o intuito de discutir os desafios da pauta populacional, o evento “I Diálogos Brasileiros em População e Desenvolvimento – Marielle Franco, presente” iniciou suas atividades na quarta-feira (4) em Brasília (DF).

O debate foi aberto pela ex-presidente da Comissão Nacional de População e Desenvolvimento e conselheira do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil, Elza Berquó, que falou sobre a atual conjuntura sociopolítica do país e a importância de abordar a situação dos refugiados em âmbito mundial.

“Eles estão ocupando o espaço que anteriormente eram das migrações e todos os dias temos homens, mulheres e crianças que morrem nas travessias continentais pelos mares, fugindo de governos totalitários ou por questões religiosas”, declarou. Elza participou ativamente e foi relatora da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento que aconteceu em Cairo, no Egito, em 1994.

A Conferência de Cairo foi relembrada pelo representante do UNFPA no Brasil, Jaime Nadal. Além de pontuar a importância da participação brasileira em eventos como este, saudou o país pelo movimento de vanguarda em se tratando de populações em desenvolvimento. “O Brasil conta com a participação bem articulada de pessoas da sociedade civil, academia, especialistas e governo nos debates internacionais. Nas próximas reuniões, assuntos que não foram abordados em Cairo vão ser levantados. Vamos pôr em discussão os direitos sexuais e reprodutivos, o racismo e a vulnerabilidade de povos negros e indígenas”.

Organizado pela Rede Brasileira de População e Desenvolvimento (REBRAPD), com o apoio do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (IREL/UnB), o evento é uma oportunidade de trocas de conhecimento entre sociedade civil das cinco regiões do país, governo brasileiro, Sistema ONU e o corpo acadêmico.

A vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio de Janeiro há cerca de 20 dias, foi homenageada por seu trabalho exponencial com as populações negras e periféricas. “Marielle foi a encarnação de um slogan da agenda populacional que diz: ‘cada pessoa conta’. Mulher, negra, periférica e LGBT, a vereadora nos mostrou que a rua é um espaço de política e reafirma a dificuldade que é, para nós, acreditarmos nos direitos humanos”, declarou Richarlls Martins, coordenador da REBRAPD.

Jaime Nadal lembrou os 50 anos da morte do líder negro Martin Luther King e também prestou solidariedade a Marielle e ao motorista Anderson Gomes, assassinado no mesmo episódio. “Marielle foi um marco pela sua participação, renovação e nos lembra as bandeiras da ONU perante o combate ao racismo, ao machismo e a todas as opressões”, disse o representante do UNFPA Brasil.

O “I Diálogos Brasileiros em População e Desenvolvimento” acontece até sexta-feira (6), no Instituto de Relações Internacionais da UnB. A atividade visa auxiliar na atuação da sociedade civil para a defesa da agenda da Conferência Internacional de População e Desenvolvimento de Cairo, da Conferência de Montevidéu, além de debater os cenários geopolíticos locais, regionais e globais no marco da agenda de população e desenvolvimento.


Mais notícias de:

Comente

comentários