Fundo agrícola da ONU e governo do Ceará repassam R$ 5,8 milhões para negócios de agricultores familiares

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O governador do Ceará, Camilo Santana, formalizou na semana passada (12) o repasse de 5,8 milhões de reais para o Projeto Paulo Freire em Campos Sales, município localizado a 485 km de Fortaleza. O montante é fruto de um empréstimo junto ao Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas e ao Tesouro Estadual. Iniciativa visa reduzir a pobreza e melhorar as condições de vida de agricultores familiares.

Projeto Paulo Freire melhora condições de vida de agricultores familiares do Ceará. Foto: Flickr/Orgânicos do Pivas (CC)

Projeto Paulo Freire melhora condições de vida de agricultores familiares do Ceará. Foto: Flickr/Orgânicos do Pivas (CC)

O governador do Ceará, Camilo Santana, formalizou na semana passada (12) o repasse de 5,8 milhões de reais para o Projeto Paulo Freire em Campos Sales, município localizado a 485 km de Fortaleza. O montante é fruto de um empréstimo junto ao Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) das Nações Unidas e ao Tesouro Estadual. Iniciativa visa reduzir a pobreza e melhorar as condições de vida de agricultores familiares.

A primeira etapa do Paulo Freire, também chamado pelo nome técnico Projeto de Desenvolvimento Produtivo e de Capacidades, já liberou recursos para 40 projetos em 26 municípios — 15 na região do Cariri, 18 na região de Sobral e sete no Sertão dos Inhamuns. O financiamento atende mais de 1,4 mil famílias que têm negócios em apicultura, suinocultura, pesca artesanal, avicultura, artesanato, mandiocultura e cajucultura.

A oficialização do envio de verba para Campos Sales aconteceu em cerimônia realizada na Comunidade Lagoa do Carmo, no distrito de Barão de Aquiraz. Trinta e cinco comunidades do município — de um total de 40 incluídas no Paulo Freire — receberam a primeira parcela dos recursos na solenidade.

“Ao todo são quase 300 milhões de reais que nós vamos investir nos municípios que mais precisam neste momento, no Ceará, de apoio a agricultores e agricultoras familiares. Apoiar homens e mulheres que vivem do campo, não só na parte de capacitação, de treinamento, mas também no financiamento de projetos que possam gerar renda, empregos e oportunidades para o Ceará”, explicou o governador sobre o alcance do Projeto Paulo Freire.

Dentre os agricultores que receberão suporte do projeto, está Cícero Aldeão, de 68 anos, que persiste na luta para cultivar grãos no município de Tarrafas. Desde os oito anos trabalhando arduamente no semiárido, “Seu Ciço” conta que as más condições de trabalho por conta do clima fazem parte do dia a dia do agricultor cearense. “Uma vida sofrida, que muitas vezes traz tristeza quando a gente olha pra esse descampado”, afirmou.

Segundo o idoso, os investimentos trarão alento para a população. “O governo não pode fazer tudo de uma vez, mas com o tempo vai fazendo algumas coisas para ajudar. Ter financiamento para o trabalho aqui, aproveitar as águas onde a gente tem, trazer elas para onde não tem. O caminho é esse”, comenta.

A execução do Projeto Paulo Freire está a cargo da Secretaria estadual do Desenvolvimento Agrário (SDA). Também presente na cerimônia, o chefe da pasta, Dedé Teixeira, lembrou que o programa atua em áreas afetadas por condições extremas. O chefe da SDA descreveu a iniciativa como o “grande projeto para erradicação da pobreza em comunidades do interior do Ceará”. “Vamos garantir investimentos para 600 comunidades dos 31 municípios cearenses mais pobres”, garante.


Mais notícias de:

Comente

comentários