Funcionários da ONU lamentam mortes de colegas no ano passado

Em 2011, afirma o Sindicato de Funcionários da ONU, 35 funcionários da Organização morreram enquanto trabalhavam, 20 a mais do que em 2010.

Memorial em honra das vítimas do ataque de 26 de agosto de 2011 no complexo da ONU em Abuja, na Nigéria.Crédito: Kori Habib/UNFPA.Funcionários das Nações Unidas tornaram-se alvos principais de ataques terroristas e de insurgentes em todo o mundo, alertou hoje (03/01) o Sindicato de Funcionários da ONU ao prestar um tributo aos colegas mortos enquanto serviam a Organização em 2011.

De acordo com o Sindicato, foram 35 mortos – 25 civis, 9 das forças de manutenção da paz e um oficial militar – durante 2011, juntamente com quatro seguranças que trabalhavam para  a Organização. O número representa um aumento de funcionários mortos em comparação com o ano de 2010, onde 15 funcionários foram mortos.

“Já basta”, disse a Presidente do Sindicato dos Funcionários da ONU, Barbara Tavora-Jainchill. “Uma vida perdida é uma vida para muitos. A proteção e a segurança das instalações e dos funcionários das Nações Unidas devem ser levadas mais a sério, mais recursos devem ser disponibilizados para este propósito e as decisões referentes à segurança dos funcionários devem ser independentes de qualquer consideração de ordem econômica ou política”.

Os três piores ataques contra funcionários das Nações Unidas em 2011 ocorreram no Afeganistão e na Nigéria – dois países onde a ONU mantém presença significativa.