Funcionário da ONU condena onda de ataques que já deixou pelo menos 44 mortos no Iraque

Representante Especial do Secretário-Geral para o Iraque condenou fortemente os ataques que mataram dezenas de pessoas, em muitos casos civis, em todo país desde domingo (16).

O Representante Especial do Secretário-Geral para o Iraque condenou fortemente os ataques que mataram dezenas de pessoas, em muitos casos civis, em todo país desde domingo (16).

“Peço a todas as partes que se engajem em um diálogo inclusivo e que trabalhem urgentemente para resolver a situação para evitar uma escalada”, afirmou Martin Kobler, que é também o chefe da Missão de Assistência da ONU no Iraque (UNAMI), em um comunicado divulgado hoje (17) no qual oferece a mediação das Nações Unidas, caso solicitada.

De acordo com relatos da mídia, uma série de ataques – tendo como alvo as forças de segurança e civis iraquianos – matou pelo menos 25 pessoas hoje. No domingo, uma onda de violência deixou 19 pessoas mortas e outras 77 feridas.

A violência de domingo incluiu uma série de explosões de bombas na província de Kirkuk, rica em petróleo. Localizada no norte do Iraque, a província é o lar dos curdos no Iraque, uma minoria étnica no país. Kirkuk não participou das eleições provinciais iraquianas em 2009 por causa de disputas étnicas internas.

No comunicado, Kobler também estendeu suas condolências às famílias daqueles que foram mortos e os seus desejos para a recuperação rápida dos que ficaram feridos.