Funcionária brasileira da ONU recebe homenagem póstuma em Brasília

Ipê rosa foi plantado em memória de Nicole Bergener Guimarães, na Casa da ONU no Brasil, durante cerimônia com familiares e funcionários das Nações Unidas.

Ipê Rosa plantado em homenagem a Nicole Bergener Guimarães. Foto: Júlia Lima/PNUD Brasil

Ipê Rosa plantado em homenagem a Nicole Bergener Guimarães. Foto: Júlia Lima/PNUD Brasil

Nesta sexta-feira (11), no Complexo Sergio Vieira de Mello, Nicole Bergener Guimarães recebeu uma homenagem póstuma. Ela era a 2ª vice-presidente da Associação de Funcionários de Campo das Nações Unidas (UNFSU, na sigla em inglês) e faleceu de causas naturais, no último dia 24, em sua residência em Brindisi, Itália.

Participaram da cerimônia funcionários da Casa da ONU, o representante residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e coordenador da ONU no Brasil, Jorge Chediek, os pais de Nicole, Lytton e Christine Guimarães, e o marido, James Bone.

“Aqui estamos lembrando dela, com a tristeza da perda, mas também com orgulho das contribuições que ela deu para a construção de um mundo melhor. E que melhor tributo do que plantar uma árvore em sua memória, perto da bandeira das Nações Unidas, que ela amou e serviu com tanta honra”, disse Chediek.

O marido de Nicole encorajou os funcionários da ONU a darem o melhor de si independente do seu cargo na Organização. “Se alguém disser que você não pode fazer a diferença nessa organização porque o seu salário é muito baixo, não acredite. Tudo que é preciso é se dedicar, ter compaixão e, acima de tudo, se importar com os outros. Nicole se importava”, disse.

Bone leu uma carta do subsecretário-geral da ONU para as Operações de Manutenção da Paz, Edmond Mulet, que dizia que Nicole “era uma daquelas pessoas que incorporam as virtudes das Nações Unidas. Ela sempre sorria, independente dos desafios, independente da dificuldade, das circunstâncias. Ela era única, um ser humano muito especial”.

Ao fim do memorial, um ipê rosa foi plantado em homenagem a Nicole. “Estou muito honrada com tudo isso”, disse a mãe, Christine.

Nicole Bergener Guimarães. Foto: PNUDNicole ingressou nas Nações Unidas como voluntária na Missão de Administração Interina das Nações Unidas (UNMIK), em Kosovo, em 2000. De 2001 até 2003, trabalhou na Seção de Contratos da UNMIK e depois foi transferida para a Missão de Estabilização das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUC).

Em 2006, ela passou a integrar a Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH), onde trabalhou na Seção de Serviços Gerais. Tanto na RDC quanto no Haiti, Nicole atuou também como presidente dos sindicatos locais e, em 2011, foi nomeada para o comitê executivo do UNFSU.

Na próxima semana, homenagens serão realizadas em Brindisi, na Itália, e na República Democrática do Congo. Nicole também foi homenageada na quinta-feira (10), em uma cerimônia em Porto Príncipe, no Haiti, onde funcionários da ONU estão se mobilizando para que uma escola seja construída e dedicada a ela.

A família pede que, ao invés de flores, doações sejam feitas em nome de Nicole, para a Associação Protetora dos Animais Abrigo Flora.