Clima frio faz aumentar o número de infecções respiratórias no Paquistão

Aumenta o número de infecções respiratórias nas comunidades do Paquistão afetadas pelas inundações devido à chegada do clima mais frio. Segundo relatório da Organização Mundial da Saúde, cerca de 90 mil pessoas foram afetadas na semana passada.

Aumenta o número de infecções respiratórias nas comunidades do Paquistão afetadas pelas inundações devido à chegada do clima mais frio. Segundo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 90 mil pessoas foram afetadas na semana passada.

Ao todo, 487 mil pessoas foram submetidas a tratamento médico no período de 18 a 24 de setembro nas áreas devastadas por dois meses de intensas enchentes, que mataram duas mil pessoas e deixaram 20 milhões sem casas, com riscos de desnutrição, epidemias e perda dos meios de subsistência.

Este mês, a ONU e seus parceiros lançaram seu apelo à comunidade internacional, buscando angariar mais de dois bilhões de dólares para o que o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, chamou de “pior desastre” que a Organização já enfrentou. Desde que a crise começou, no final de julho, 6,2 milhões de pessoas já receberam ajuda do governo e de agências humanitárias.

Durante sua última análise, a OMS registrou também quase 65 mil casos de diarreia aguda e mais de 6,4 mil de diarreia sanguinolenta, além de 43 mil casos suspeitos de malária e mais de 60 mil doenças de pele.

A OMS continua a distribuir medicamentos a mais de 90 parceiros da área de saúde que atuam na rede de saúde local e podem beneficiar cinco milhões de pessoas. A prioridade da agência é garantir o acesso aos serviços de saúde às pessoas desalojadas que retornam a suas casas.

Atualmente, 47 centros de tratamento para diarreia funcionam em áreas afetadas pelas enchentes, e se discute onde é melhor situá-las para atender as necessidades das comunidades prejudicadas. A OMS também está apoiando o treinamento de pessoal nesses centros e está fornecendo medicamentos e outros materiais de higiene e saneamento.