França e ACNUR realizam em Manaus seminário sobre atendimento a refugiados e migrantes venezuelanos

Evento reunirá representantes dos governos federal, dos estados do Amazonas e de Roraima, da cidade de Manaus, entidades da sociedade civil, além de especialistas do Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Venezuela, União Europeia e agências das Nações Unidas. Seminário abordará vulnerabilidades específicas de venezuelanos na América do Sul.

Na segunda fase do processo de interiorização, 233 venezuelanos vivendo em Boa Vista foram levados a São Paulo e Manaus. Foto: ACNUR

Na segunda fase do processo de interiorização, 233 venezuelanos vivendo em Boa Vista foram levados a São Paulo e Manaus. Foto: ACNUR

Para compartilhar desafios e boas práticas de países latino-americanos no atendimento a refugiados e migrantes venezuelanos, a Embaixada da França no Brasil e a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) realizam na próxima semana, em Manaus (AM), um seminário com a participação de governos da região, entidades da sociedade civil e organismos internacionais.

O evento Refugiados, Migrantes e Vulnerabilidades: Compartilhando Experiências e Fortalecendo a Resposta Humanitária na América do Sul acontecerá nos dias 20 e 21 de maio, no Palacete Provincial de Manaus (Praça Heliodoro Balbi, S/N – Centro). Além de trocar experiências, os participantes debaterão casos de vulnerabilidade para identificar de que forma os países têm trabalhado para solucioná-los.

Participam do seminário representantes dos governos federal, dos estados do Amazonas e de Roraima, da cidade de Manaus, entidades da sociedade civil, além de especialistas do Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Venezuela, União Europeia e agências das Nações Unidas.

Mais de 3,4 milhões de refugiados e migrantes venezuelanos estão fora do seu país de origem, de acordo com os dados mais recentes divulgados pela ONU. As nações da América Latina e do Caribe acolhem cerca de 2,7 milhões de venezuelanos à procura de assistência e proteção.

Neste cenário, as operações do Sistema ONU foram ampliadas para responder às necessidades dessa população deslocada. O ACNUR desempenha um papel fundamental nessa estratégia, especialmente no apoio aos grupos mais vulneráveis.

No Brasil, por meio de parcerias com o governo federal, organizações da sociedade civil e outras agências da ONU, o ACNUR atua no monitoramento da fronteira, no registro e documentação de quem chega ao país e na gestão de abrigos. Além disso, apoia o processo de interiorização, oferecendo ajuda financeira aos venezuelanos realocados, a fim de acelerar a sua integração nas cidades de destino. A instituição também apoia a criação de vagas nos abrigos participantes da interiorização, permitindo a transferência de outros venezuelanos.

A Embaixada da França no Brasil vem trabalhando na resposta à chegada dos venezuelanos por meio do financiamento de um projeto de assistência financeira e social, executado pela Cáritas Manaus, para facilitar a integração local dos refugiados e migrantes. A ação é realizada no contexto do programa de interiorização do governo brasileiro. O projeto na capital amazonense começou em setembro de 2018. A sua finalização está prevista para julho de 2019. A iniciativa conta com um apoio financeiro de 200 mil euros, provenientes do Centro de Crises do Ministério francês de Assuntos Estrangeiros.

Durante os dois dias de seminário, especialistas participarão de seis painéis, onde apresentarão temas relacionados a políticas de integração no Brasil, coordenação da resposta nos estados do Amazonas e de Roraima, resposta humanitária em nível regional, desafios no acolhimento de indígenas venezuelanos e populações mais vulneráveis. O seminário promoverá discussões sobre dificuldades e soluções no acolhimento de pessoas venezuelanas por países da América do Sul. O objetivo é fortalecer a resposta humanitária na região.

Contato para a imprensa: Damien Gairin Calvo — damien.gairin-calvo@diplomatie.gouv.fr