Fórum pede que governos reconheçam contribuições dos povos indígenas na luta contra mudanças climáticas

Líderes presentes no quarto Encontro Global do Fórum de Povos Indígenas, realizado em Roma, pediram nesta semana (13) que governos reconheçam as contribuições dos povos indígenas na luta contra as mudanças climáticas. Evento reuniu representantes de 30 países na sede do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

“Povos indígenas são frequentemente marginalizados, sofrem violações de seus direitos humanos e são frequentemente excluídos e prejudicados por processos de desenvolvimento”, disse Myrna Cunningham, presidente do comitê de direção do Fórum.

Integrante da tribo Tariana, na região amazônica do Brasil. Foto: Banco Mundial/Julio Pantoja

Integrante da tribo Tariana, na região amazônica do Brasil. Foto: Banco Mundial/Julio Pantoja

Líderes presentes no quarto Encontro Global do Fórum de Povos Indígenas, realizado em Roma, pediram nesta semana (13) que governos reconheçam as contribuições dos povos indígenas na luta contra as mudanças climáticas. Evento reuniu representantes de 30 países na sede do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

“Povos indígenas são frequentemente marginalizados, sofrem violações de seus direitos humanos e são frequentemente excluídos e prejudicados por processos de desenvolvimento”, disse Myrna Cunningham, presidente do comitê de direção do Fórum.

“Ao mesmo tempo, os povos indígenas demonstraram resiliência para preservar as suas identidades, mantendo e adaptando os seus sistemas e práticas para lidar com circunstâncias em transformação.”

Na avaliação de Myrna, “a não ser que investimentos e políticas garantam que a transformação rural seja inclusiva, os povos indígenas poderão ser ainda mais marginalizados e empobrecidos, com menos acesso a suas terras ancestrais, a degradação irá aumentar e eles terão menos opções de subsistência”.

Encerrado na quinta-feira (14), o Fórum teve como foco o monitoramento e a avaliação da implementação de políticas de engajamento do FIDA com os povos indígenas. Outro tema prioritário foi a promoção da participação de indígenas em atividades do fundo da ONU, nos níveis nacionais, regionais e internacionais. O objetivo do evento é apoiar a transformação de princípios políticos do FIDA em ações concretas.

As políticas da agência da ONU sobre povos indígenas são desenvolvidas há mais de dez anos. Essas orientações incluem nove princípios que destacam o comprometimento com os direitos dos povos indígenas no contexto do mandato da organização, que trabalha para reduzir a fome e a pobreza em áreas rurais.

As tradições e os conhecimentos dos povos indígenas possuem grande potencial para contribuir com técnicas de adaptação resilientes ao clima, fornecendo soluções para alguns dos problemas mais desafiadores do mundo.

“A parceria com os povos indígenas é parte do DNA do FIDA e isto tem sido fortalecido ao longo dos anos. Graças às suas orientações, nós aprimoramos projetos para melhor satisfazer as necessidades dos povos indígenas. Este diálogo tem melhorado amplamente o nosso entendimento”, disse o presidente do FIDA, Gilbert Houngbo, durante o Fórum.

“Vocês têm muito a ensinar a todos nós sobre como respeitar, proteger e conservar os recursos naturais”, acrescentou o chefe do organismo internacional. “Seus conhecimentos ancestrais, combinados com experiências diárias do que está acontecendo, podem nos dar lições valiosas sobre como se adaptar e mitigar as mudanças climáticas.”


Comente

comentários