Fórum internacional debate tecnologias sociais como ferramenta de inclusão

Evento, que conta com a parceria de agências da ONU, reúne especialistas e finalistas do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social. Fórum quer facilitar a troca de experiências entre os participantes e a formulação de propostas para fortalecer políticas públicas e ações de empresas e da sociedade civil voltadas à promoção das tecnologias sociais no Brasil.

Teve início nesta terça-feira (21), em Brasília (DF), o Fórum Internacional de Tecnologia Social. O objetivo é permitir a troca de experiências entre os participantes e a formulação de propostas para fortalecer políticas públicas e ações de empresas e da sociedade civil voltadas à promoção das tecnologias sociais no Brasil.

O evento, encerrado nesta quarta-feira (22), reuniu especialistas, pesquisadores, representantes do poder público e de entidades certificadas, além dos finalistas do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2017.

Na abertura do evento, o representante da FAO no Brasil, Alan Bojanic, lembrou que “estamos em um mundo que de um lado temos altas tecnologias e de outro temos pequenos produtores nas florestas ainda com práticas tradicionais que também precisam ser aprimoradas”.

Ele ressaltou que ambas tecnologias estão postas e as duas têm de ser valorizadas e entendidas para que resultem em melhorias na vida no campo, principalmente, das populações mais vulneráveis.

Também participaram da mesa de abertura Marcelo Santos Sousa, do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF); Fátima Amazonas, do Grupo Banco Mundial; Luciana Aguiar, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); além do presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Ramatiz Lopez Soares. O evento ainda contou com a palestra magna do especialista Hernán Thomas cujo tema foi: “Novos Desafios para a Tecnologia Social: Estratégias de Desenvolvimento Inclusivas, Sustentáveis e Sistemas Tecnológicos Sociais”.

As tecnologias sociais têm cumprido, no Brasil, um importante papel de promoção de inclusão e desenvolvimento social.

A partir da sua lógica de concepção e execução democrática e participativa, as tecnologias sociais se afirmam como um caminho eficaz para a solução de problemas centrais da sociedade ao mesmo tempo em que atingem objetivos pedagógicos e de empoderamento ao posicionar seus beneficiários como figuras protagonistas de sua idealização e realização.

Na próxima quinta-feira (23) ocorrerá, também em Brasília, a cerimônia de entrega do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2017. A experiência de Escolas Sustentáveis da cidade de Aquitizaya, em El Salvador, é uma das finalistas da premiação na categoria Internacional.

A iniciativa, apoiada pelo Programa de Cooperação Brasil-FAO, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), promove a educação alimentar e nutricional em 22 centros escolares.

Experiência em El Salvador promove educação alimentar e nutricional em 22 centros escolares

O município de Aquitizaya, localizado a 83 km ao norte de San Salvador, em El Salvador, vem implementado desde 2013 a iniciativa Escolas Sustentáveis, uma referência de programas de alimentação escolar sustentáveis.

A iniciativa é desenvolvida por meio da articulação entre diversos setores relacionados à alimentação escolar, da participação social, da educação alimentar e nutricional para a promoção de hábitos saudáveis por meio de hortas escolares, da adoção de cardápios adequados e da compra de produtos da agricultura familiar local para a alimentação escolar.

Todos os dias a alimentação escolar dos estudantes de 22 centros escolares do município é enriquecida com vegetais colhidos nas hortas implementadas nas escolas e com os alimentos produzidos pelos agricultores familiares da região.

Esta Tecnologia Social salvadorenha é uma das finalistas do Prêmio Fundação Banco do Brasil, na Categoria Internacional.

O prêmio busca promover as tecnologias sociais como ferramentas de baixo custo e com a participação das comunidades para o desenvolvimento sustentável. Esta foi a primeira edição que contou com a categoria de tecnologias internacionais.

As categorias da premiação estão alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pelas Nações Unidas para a Agenda 2030. Saiba mais sobre a iniciativa salvadorenha clicando aqui.