Fórum em Abu Dhabi debate desafios para garantir desenvolvimento urbano sustentável

As cidades deverão produzir mais de 70% das emissões de gás carbônico globais e consumirão 80% da energia do mundo em 2030. Foto: UNsplash

A Década de Ação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) é também a década da rápida urbanização. Estima-se que, em 2030, 60% da humanidade viverá em cidades, e esse percentual deverá saltar para 70% em 2050.

As cidades deverão produzir mais de 70% das emissões de gás carbônico globais e consumirão 80% da energia do mundo em 2030. A urbanização tem impacto direto na mudança do clima, no aumento das desigualdades, no crescimento populacional e na degradação ambiental.

O 10º Fórum Urbano Mundial (WUF, na sigla em inglês), conferência global que ocorre em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos) até quinta-feira (13), abordará os principais desafios para garantir o desenvolvimento urbano sustentável, incluindo a necessidade de alinhar a implementação da Agenda 2030 com a Nova Agenda Urbana.

O Fórum terá como foco seis áreas de ação:

· Mecanismos de financiamento inovadores para cidades sustentáveis.
· Soluções urbanas inovadoras em habitação, mobilidade, planejamento e governança.
· Tecnologia e dados como promotores de cidades sustentáveis.
· Mulheres e juventude como capital humano e social ao futuro urbano sustentável.
· Empoderamento de cidades como plataformas abertas de investimento para cultivar e promover negócios.
· Impacto das migrações nas cidades.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) participará do Fórum Urbano Mundial por meio das discussões informais e na modelagem de ações coletivas, engajando mesas de diálogo e eventos de alto nível.

Representantes da organização discutirão com parceiros uma ampla gama de políticas e estratégias necessárias para alcançar tanto a Nova Agenda Urbana como as metas da Agenda 2030.

Nos próximos 30 anos, são estimados investimentos de 90 trilhões de dólares em infraestrutura, principalmente em áreas urbanas.

Há uma oportunidade única para fomentar esses investimentos a fim de garantir a transição para uma economia de baixo carbono, com eficiência no uso de recursos naturais, resiliência do clima e cidades em que as pessoas possam ter uma vida pacífica, socialmente justa e com saúde de qualidade.

Se os recursos disponíveis forem bem geridos, as cidades podem contribuir significativamente para o cumprimento das metas das Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs, na sigla em inglês) e manter a ambição de que o aumento da temperatura global do clima não passe de 1,5º C nos próximos anos.

O PNUD está comprometido a continuar a desenvolver soluções integradas para promover o desenvolvimento sustentável nas cidades.

Aumentando as capacidades, o conhecimento e a rede de parceiros desenvolvida nos últimos 50 anos, a organização focará no apoio aos países, aos municípios e aos atores locais para ampliar a governança, o acesso a recursos financeiros e o progresso social.

Assim, amplia as políticas de desenvolvimento, as capacidades de liderança, capacidades institucionais e colabora com o fortalecimento da resiliência com foco em resultados sustentáveis.

São esperadas mais de 15 mil pessoas no Fórum Urbano Mundial, incluindo representantes de governos locais, nacionais e regionais, da sociedade civil organizada, da mídia, de agências, fundos e programas da ONU e de organismos internacionais.