Fórum de Nutrição Infantil recomenda programas de alimentação escolar para atingir Fome Zero

Desenho de Roxana Daniela Elvir Barrientos, 10 anos, de Honduras. Ela foi uma das 13 crianças vencedoras de um concurso de arte que envolveu milhões de crianças que recebem refeições escolares do PMA em todo o mundo. Foto: PMA

O Fórum Global de Nutrição Infantil, principal encontro mundial para discussão de políticas de alimentação escolar, realizou sua 16ª edição na África do Sul, entre 29 de setembro e 3 de outubro de 2014.

Organizado pela Fundação Global para a Nutrição Infantil, em parceria com o Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos (PMA) da ONU, o evento teve cinco dias de intensa troca de conhecimento entre representantes de 40 países de todo o mundo.

Os participantes foram convidados a pensar estratégias para garantir programas de alimentação escolar sustentáveis em seus países, discutir os benefícios de investir em alimentação escolar com foco em nutrição, além de propor caminhos e influenciar a agenda global pós-2015.

Os 250 participantes, incluindo dez ministros e quatro vice-ministros de países africanos, escreveram um comunicado com as principais conclusões e recomendações do Fórum. Dentre os tópicos do comunicado estão o Desafio Fome Zero, a Agenda pós-2015 e o potencial da alimentação escolar para contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O documento recomenda que os governos considerem programas de alimentação escolar como um investimento e não uma despesa, ressaltando que os programas de alimentação escolar sustentáveis ​​que incorporam diversas refeições nutritivas e balanceadas ligadas à produção da agricultura familiar é uma estratégia fundamental para obter sucesso no Desafio Fome Zero e para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

O diretor do Centro de Excelência contra a Fome, Daniel Balaban, em visita à escola agrícola Laerskool Parksig, na África do Sul. Foto: PMA/André Branco

O diretor do Centro de Excelência contra a Fome, Daniel Balaban, disse que “podemos alcançar um bom resultado se trabalharmos juntos. Precisamos perseverar. Se trabalharmos duro e acreditarmos no que fazemos, vamos alcançar nossos objetivos”.

Troca de experiências

A programação do evento ofereceu momentos para o compartilhamento de desafios e conquistas de cada país no combate à fome. O ministro da Educação de Lesoto, Makabelo Mosothoane, destacou o apoio recebido do Centro de Excelência contra a Fome e relatou o avanço nas alimentações escolares em seu país após visita de estudos no Brasil. O ministro também mencionou que a capacitação de profissionais, os recursos financeiros, a infraestrutura de escolas e as dificuldades na compra de alimentos de agricultores locais ainda são desafios a serem superados.

O Fórum Global foi apoiado pelo governo brasileiro, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o Serviço Social da Indústria do Brasil (SESI) e o governo da África do Sul. A organização do evento também foi apoiada pelo escritório regional do PMA na África do Sul.