Fórum da ONU levanta mais de 450 milhões de dólares para chamada ‘cooperação Sul-Sul’

Empresas, governos e investidores se reuniram em Nairóbi, Quênia, para discutir projetos de desenvolvimento sustentável entre países em desenvolvimento.

 Presidente da Assembleia Geral da ONU (esquerda) com o diretor executivo do Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA) no final da exposição. Foto: PNUMA

Presidente da Assembleia Geral da ONU (esquerda) com o diretor executivo do Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA) no final da exposição. Foto: PNUMA

Investidores, empresas sustentáveis e governos prometeram empregar mais de 450 milhões de dólares em projetos da cooperação Sul-Sul. O compromisso foi feito na exposição organizada pela ONU sobre o desenvolvimento global Sul-Sul, em Nairóbi, no Quênia.

Centenas de participantes passaram a semana passada trocando ideias, soluções e tecnologias desenvolvidas na região.

A cooperação Sul-Sul é a troca de recursos, tecnologia e conhecimento entre os países em desenvolvimento. Atualmente, esses países são responsáveis por 47% do comércio global.

Os acordos assinados durante a exposição envolvem projetos que vão desde a construção de fábricas de fertilizantes orgânicos e projetos de energia limpa no Quênia até usinas de energia solar em Uganda e negócios sustentáveis para as mulheres do Egito.

Segundo o presidente da Assembleia Geral da ONU, John Ashe, que participou do encontro, o tema do evento deste ano – “Construindo economias verdes inclusivas” – se encaixa bem para os países em desenvolvimento, que “possuem a oportunidade e a obrigação de buscar tipos de desenvolvimento mais ‘inteligentes’ do que os anteriores”.

Ele acrescentou que é evidente que a cooperação Sul-Sul está tendo um grande impacto e influência em vários setores, incluindo saúde, energia, economia e comércio.

Ashe também observou que esses países estão atraindo fluxos de capital significativos e que algumas das economias emergentes estão começando a exercer uma enorme influência geopolítica.

O presidente da Assembleia Geral da ONU destacou que a sociedade, a economia e o meio ambiente estão intimamente ligados e que ecologia e economia não são concorrentes e podem coexistir harmoniosamente.

Para detalhes sobre o que aconteceu na exposição, clique aqui.