Fornecimento de água transforma comunidades agrícolas de refugiados na Etiópia

Canal construído por iniciativa do ACNUR e Fundação IKEA irriga plantações no campo de refugiados de Melkadida, na Etiópia. Foto: ACNUR/Diana Diaz

No estado de Ogaden, na Etiópia, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a Fundação IKEA implementam um programa de abastecimento de água que está revolucionando a vida de refugiados somalis e agricultores locais. As instituições instalaram um sistema hídrico para a irrigação de plantações, levando prosperidade a uma região devastada pelas secas.

“Antes do sistema de canal ser construído, havia apenas arbustos aqui”, lembra Ibrahim Abdi Farah, presidente do Esquema de Irrigação da Comunidade Sede, no campo de refugiados de Kobe.

“Nós não conseguíamos plantar nada aqui. Mal conseguíamos alimentos para sobreviver e, muito menos, para vender.”

Usando sementes e ferramentas compartilhadas, os refugiados somalis e os residentes etíopes estão cultivando a terra lado a lado. Estrangeiros e nativos também participaram de treinamentos oferecidos pela cooperação.

O programa do ACNUR é exemplo de uma resposta mais ampla aos fluxos de refugiados, que visa à autossuficiência dos deslocados e também ao suporte das comunidades de acolhimento. Os agricultores trabalham em 13 plantações diferentes, de tomates a cebolas. Os produtos são vendidos nos mercados de todo o país.

“Nós compartilhamos estas terras com os residentes locais porque antes eles dependiam de assistência externa. Agora podem ser independentes e ajudar outras pessoas também”, afirma a somali Dahaba Hassan Ibrahim.

Para a refugiada e sua família, a renda gerada com seu produtivo pedaço de terra foi a salvação de suas vidas.

“Esta plantação me deu liberdade. Antes, para prover o mínimo das necessidades dos meus filhos, eu dependia da venda de alguns legumes e da assistência que recebíamos”, ela explica.

“Agora, com esta fazenda, eu posso comprar tudo de que preciso.”

Parceria dá acesso à educação

Assim como muitos outros pais, Dahaba espera que seus filhos possam frequentar a escola. Com o apoio do ACNUR e da Fundação IKEA, este sonho está finalmente se tornando realidade. Jovens e crianças agora têm acesso à educação, incluindo Iqra, de 20 anos.

“Eu quero aprender sobre administração para resolver os problemas contínuos do meu país”, diz.

“Se eu for presidente da Somália, abrirei mais escolas para a sociedade. É o meu desejo, meu sonho e eu farei isto.”