FMI eleva projeção de crescimento da economia brasileira para 0,7% em 2017

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou para 0,7% a projeção de crescimento da economia brasileira este ano, segundo relatório do organismo internacional publicado nesta terça-feira (10).

A projeção para o Brasil é uma das menores da América do Sul, ficando à frente somente de Equador, cuja expectativa é de crescimento de 0,2%, e da Venezuela, cujo PIB deve cair 12% este ano, de acordo com o FMI.

Economia brasileira deve crescer 0,7% em 2017, de acordo com projeções do FMI. Foto: EBC

Economia brasileira deve crescer 0,7% em 2017, de acordo com projeções do FMI. Foto: EBC

O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou para 0,7% a projeção de crescimento da economia brasileira este ano, frente à expectativa de avanço de 0,3% divulgada em julho, segundo relatório do organismo internacional publicado nesta terça-feira (10). A projeção de crescimento para 2018 também passou de 1,3% para 1,7%.

A melhora nas projeções foi atribuída à safra abundante do agronegócio e ao impulso ao consumo, especialmente após a liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) das contas inativas, segundo o relatório “World Economic Outlook”.

Na comparação com as projeções divulgadas em abril, a expectativa de crescimento para o ano que vem foi reduzida em 0,2 ponto percentual diante da “contínua fraqueza dos investimentos e das crescentes incertezas políticas e de políticas”, segundo o FMI.

Segundo o organismo internacional, uma retomada gradual da confiança, enquanto reformas-chave para garantir a sustentabilidade fiscal são implementadas com o tempo, é projetada para elevar o crescimento a 2% no “médio prazo”.

Para o FMI, o combate aos gastos insustentáveis, incluindo por meio da Reforma da Previdência, é importante para retomar a confiança e impulsionar o crescimento sustentado do investimento privado.

América do Sul

A projeção de crescimento para o Brasil é uma das menores da América do Sul, ficando à frente somente de Equador, cuja expectativa é de avanço de 0,2%, e da Venezuela, cujo PIB deve cair 12% este ano, de acordo com o FMI.

Para a Argentina, a expectativa é de crescimento de 2,5%, para o Peru, de 2,7% e para a Bolívia, de 4,2%. A projeção para o Uruguai é de avanço de 3,5% e para o Paraguai, de 3,9%, segundo as projeções do organismo internacional.

Clique aqui para acessar o relatório completo (em inglês).


Comente

comentários