FMI diz que empréstimo pedido pela Argentina impulsionará programa macroeconômico

O Conselho Executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) reuniu-se na sexta-feira (18) em Washington para uma reunião informal sobre o pedido feito por autoridades argentinas para receber apoio financeiro do organismo internacional.

Segundo a chefe do FMI, Christine Lagarde, a Argentina está enfrentando significativa volatilidade financeira, em parte devido ao aperto nas condições globais e também após a seca que minou a produção agrícola do país.

“É nesse contexto que as autoridades argentinas pediram nosso apoio para ajudar a conter essa volatilidade do mercado e proteger o crescimento, a criação de empregos e a coesão social no país.”

Ponte das Mulheres, em Buenos Aires. Foto: Geoff Livingston/Wikimedia Commons (CC)

Ponte das Mulheres, em Buenos Aires. Foto: Geoff Livingston/Wikimedia Commons (CC)

O Conselho Executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) reuniu-se na sexta-feira (18) em Washington para uma reunião informal sobre o pedido feito por autoridades argentinas para receber apoio financeiro do organismo internacional.

A reunião foi uma oportunidade de os funcionários do FMI atualizarem o Conselho sobre desenvolvimentos econômicos recentes na Argentina e apresentar o programa de governo em mais detalhes. O encontro foi presidido pela diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde.

“Desde que a administração Macri assumiu, a Argentina tem se engajado em uma transformação fundamental e bem-vinda de sua economia”, disse Lagarde em comunicado publicado na ocasião.

“Enquanto muitas políticas foram aplicadas rapidamente, o governo também têm estado consciente da necessidade de construir e manter o consenso social ao calibrar o ritmo de seus esforços de reforma, incluindo o ajuste fiscal. É sabido que tal abordagem carrega cercas vulnerabilidades”, completou.

Segundo a chefe do FMI, a Argentina está enfrentando significativa volatilidade financeira, em parte devido ao aperto nas condições globais e também após a seca que minou a produção agrícola do país.

“É nesse contexto que as autoridades argentinas pediram nosso apoio para ajudar a conter essa volatilidade do mercado e proteger o crescimento, a criação de empregos e a coesão social no país.”

“Hoje, apresentei ao Conselho Executivo a intenção das autoridades argentinas de solicitar um ‘acordo stand-by’ de acesso excepcional que sustentaria seu programa econômico”, disse Lagarde.

“As autoridades enfatizaram que os objetivos do programa incluiriam a criação de um caminho claro para o crescimento forte, sustentável e equitativo e a criação robusta de empregos; restaurar a confiança do mercado por meio de um programa macroeconômico claro que reduza as necessidades de financiamento e coloque a dívida pública em uma firme trajetória de queda; e, mais importante, proteger os mais vulneráveis ​​da sociedade durante essa transição. Nós endossamos totalmente esses objetivos.”

“A equipe do FMI e a delegação argentina estão em discussões e estas continuarão em Washington no período vindouro. Como já enfatizei anteriormente, esta é uma parceria entre a Argentina e o FMI, e nosso objetivo comum é chegar a uma rápida conclusão dessas discussões”, concluiu.