FIDA realiza missão de avaliação do projeto Pró-Semiárido na Bahia

Representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) estiveram na Bahia, entre os dias 23 de outubro e 1º de novembro, em missão de supervisão do projeto Pró-Semiárido – iniciativa da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural.

Além de mapear o que está dando certo nas intervenções do projeto junto aos agricultores e agricultoras, a missão também avaliou o que precisa melhorar para qualificar ainda mais o trabalho que vem sendo realizado.

Ação do projeto do Pró-Semiárido na Bahia. Foto: SDR.

Ação do projeto do Pró-Semiárido na Bahia. Foto: SDR.

Representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) estiveram na Bahia, entre os dias 23 de outubro e 1º de novembro, em missão de supervisão do projeto Pró-Semiárido – iniciativa da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Além de mapear o que está dando certo nas intervenções do projeto junto aos agricultores e agricultoras, a missão também avaliou o que precisa melhorar para qualificar ainda mais o trabalho que vem sendo realizado.

A programação incluiu visitas nos municípios de Senhor do Bonfim, Itiúba, Pindobaçu, Ponto Novo, Andorinha e Juazeiro para conhecer as atividades produtivas ligadas à Caprinovinocultura, Avicultura, Piscicultura, Extrativismo de Licuri, Bovinocultura, Quintais Agroecológicos e Artesanato de Barro.

Impulsionando o campo

Segundo o oficial de programas do FIDA no Brasil, Hardi Vieira, “o projeto avançou de forma significativa e servirá de modelo não só para os projetos no Brasil, mas também para todos os outros países do Mercosul”, afirmou.

A comitiva visitou 20 comunidades dentre os seis municípios visitados. Segundo o oficial de programas, o programa Pró-Semiárido tem avançado.

“Nós vimos o avanço do Pró-Semiárido em várias cadeias agrícolas. O projeto também tem realizado outras atividades como: apoio à regularização fundiária, segurança hídrica, recaatingamento e comercialização”, explicou Vieira.

“Em Juazeiro, por exemplo, foi iniciada a obra do Armazém da Agricultura Familiar, iniciativa fundamental para a comercialização dos produtos da agricultura familiar”, complementou.

Diversidade e igualdade nas atividades rurais

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entre as atividades desenvolvidas pelas famílias que foram visitadas estão a criação de tilápias em tanques-rede, caprino-ovinocultura, quintais produtivos, criação de aves, artesanato e beneficiamento de licuri.

Para a agricultora Rosangela de Oliveira, uma das beneficiárias do Pró-Semiárido que vive na comunidade Lagoa da Onça, em Andorinha, “é uma honra fazer parte desse projeto. Antigamente os projetos eram feitos apenas para homens e este atende todo mundo”.

Oliveira conta que “não imaginava ter o próprio canteiro ecológico, galinheiro e uma cisterna de produção”.

De acordo com Wilson Dias, diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional, esta missão apresentou um balanço efetivo do projeto que ajudará a  “projetar a conclusão para o ano de 2020, melhorando as condições de vida da população rural”, afirmou,

Dentre as atividades realizadas ao longo dessa missão, ocorreu, em 31 de outubro, a assinatura de um Memorando – entre o FIDA e a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional – para formalizar o compromisso entre as partes no que se refere à avaliação do projeto em andamento e a renovação dos compromissos que deverão ser cumpridos.

Sobre o projeto Pró-Semiárido

O Pró-Semiárido é resultado do acordo de empréstimo entre o Estado da Bahia e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), com investimentos voltados à superação da pobreza na região do semiárido baiano.

O projeto atende a 32 municípios do centro-norte do estado, localizados em cinco Territórios de Identidade: Sertão do São Francisco, Piemonte Norte de Itapicuru, Piemonte da Diamantina, Bacia do Jacuípe e Sisal.