Feito com tenda de campo de refugiados do ACNUR na Síria, vestido alerta para mudanças climáticas

Peça elaborada por uma das principais designers de moda da Grã-Bretanha, a professora Helen Storey, visa destacar uma questão de crescente preocupação para a Agência da ONU para Refugiados: o papel da mudança climática como um fator importante no deslocamento humano.

Um vestido feito do material de uma tenda do ACNUR está em exibição na Estação Internacional de St. Pancras para marcar o início da COP 21. Foto: David Betteridge

Um vestido feito do material de uma tenda do ACNUR está em exibição na Estação Internacional de St. Pancras para marcar o início da COP 21. Foto: David Betteridge

Um vestido feito do pesado material de uma tenda, que normalmente é utilizada para abrigar os refugiados na Jordânia, chama a atenção na movimentada estação de trem de Londres, exibindo dados da mudança climática fornecidos pelo escritório de meteorologia Met.

O extraordinário vestido feito por uma das principais designers de moda da Grã-Bretanha, a professora Helen Storey, visa destacar uma questão de crescente preocupação para a Agência da ONU para Refugiados: o papel da mudança climática como um fator importante no deslocamento humano.

O tema está em discussão na Conferência sobre Mudança Climática das Nações Unidas, realizada em Paris entre 30 de novembro e 11 de dezembro, onde representantes de mais de 190 países vão buscar um acordo global para reduzir as emissões de gases de efeito estufa para limitar o aumento global da temperatura.

Uma média de 26,4 milhões de pessoas por ano são forçadas a deixar suas casas devido a catástrofes naturais, e um número crescente de pessoas vulneráveis vivem em áreas sujeitas a desastres. O ACNUR adverte em um estudo recente que a insegurança alimentar e falta de água conduzirão à concorrência por recursos escassos, sendo que deslocamentos ainda maiores poderão acontecer nos próximos anos devido à mudança climática.

Os participantes que passarem pela estação ficarão cara-a-cara com o vestido, que visa captar a imaginação dos passantes e provocar questionamentos sobre os caminhos pelos quais se pode responder às mudanças climáticas.