Federação das trabalhadoras domésticas renova site em parceria com ONU Mulheres

A Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (Fenatrad) está com site novo no ar. A plataforma é resultado de trabalho conjunto entre ThoughtWorks, empresa especializada em desenvolver plataformas digitais, Fenatrad e ONU Mulheres.

O site foi pensado para ser um ambiente digital no qual trabalhadoras domésticas possam acessar informações e notícias da categoria, legislação trabalhista e localização de sindicatos e associações parceiras.

Trabalhadoras domésticas usam o celular para manter a rede de contatos Foto: ONU Mulheres/Isabel Clavelin

Trabalhadoras domésticas usam o celular para manter a rede de contatos
Foto: ONU Mulheres/Isabel Clavelin

A Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (Fenatrad) está com site novo no ar. A plataforma é resultado de trabalho conjunto entre ThoughtWorks, empresa especializada em desenvolver plataformas digitais, Fenatrad e ONU Mulheres.

A agência das Nações Unidas colaborou com apoio na identificação e diagnóstico de prioridades para o portal.

O site foi pensado para ser um ambiente digital no qual trabalhadoras domésticas possam acessar informações e notícias da categoria, legislação trabalhista e localização de sindicatos e associações parceiras. Há ainda dados sobre a história da luta das trabalhadoras domésticas no país.

Levando em consideração que grande parte das trabalhadoras domésticas acessam a internet via celular, a reformulação do site foi pensada para promover maior usabilidade em smartphones. Além disso, com a reforma, o portal conta com desenho mais moderno, leve e intuitivo para uso em aparelhos móveis e por meio de desktops.

“É um site moderno e bem estruturado, que veio se somar como uma ferramenta de trabalho para as nossas lutas. Modernizar este site era uma luta antiga e o mundo globalizado exige que tenhamos uma comunicação mais dinâmica”, relata a presidenta da Fenatrad, Luiza Batista.

Evolução de conteúdo e linguagem digital

A secretária-geral da Fenatrad, Creuza Oliveira, realça a importância das parcerias firmadas pelas instituições. “A ONU Mulheres vem apoiando a formulação da plataforma desde o início, no primeiro site e, agora, no segundo, que na verdade é uma atualização do antigo com melhorias bem legais.”

Para a representante interina da ONU Mulheres Brasil, Ana Carolina Querino, a internet e as novas tecnologias facilitam o acesso a informações sobre direitos e as conexões entre trabalhadoras domésticas em defesa dos direitos trabalhistas.

“Assim elas podem superar obstáculos como dispersão e até isolamento, porque, em geral, cada uma trabalha em uma residência. É um projeto de comunicação delas, colaborando para a organização histórica que as trabalhadoras domésticas brasileiras têm como uma das categorias mais longevas em termos de mobilização sindical.”

“Foi realmente uma construção conjunta em todos os sentidos”, destaca Joseane Gauterio, analista da ThoughtWorks. Para ela, houve uma proximidade durante o processo que possibilitou o lançamento de um site que faz sentido para as usuárias e se adapta ao contexto da federação.

“Apoiar o projeto está alinhado com o que acreditamos sobre justiça social. Contribuir nesse processo é uma oportunidade de aprendizagem e solidariedade. Trabalhamos sabendo que era para um objetivo que vem trazendo muitas conquistas para a categoria”, diz Gauterio.