FAO quer acabar com a fome em países anglófonos do Caribe até 2020

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura definiu 2020 como prazo para retirar os 11 países anglófonos do Caribe do Mapa Mundial da Fome. Menos de 180 mil pessoas precisam alcançar a segurança alimentar para reduzir a prevalência da subnutrição a menos de 5% e alcançar a meta.

FAO quer acabar com insegurança alimentar no Caribe anglófono até 2020. Foto: FAO

FAO quer acabar com insegurança alimentar no Caribe anglófono até 2020. Foto: FAO

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) definiu 2020 como prazo para retirar os 11 países anglófonos do Caribe do Mapa Mundial da Fome.

“Em números, menos de 180 mil pessoas precisam alcançar a segurança alimentar para reduzir a prevalência da subnutrição a menos de 5% e atingir essa meta”, disse o representante da agência da ONU para a região e também para a América Latina, Raul Benitez.

O anúncio do organismo internacional foi feito durante a 14ª Semana Caribenha de Agricultura, realizada nas Ilhas Cayman ao final de outubro.

A FAO lembra que a América Latina é a sub-região que obteve os maiores progressos na lutra contra a fome em anos recentes, alcançando tanto a meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio referente à diminuição da subnutrição — que teve uma queda na região de 14,4% para 5,1%, de 1990/1992 a 2012/2014 —, quanto promessas acordadas na Cúpula Mundial de Alimentação de 1996.

Nesse período, o número de pessoas passando fome caiu de 60,3 milhões para 29,6 milhões em países latino-americanos. Benitez reconheceu que acabar com a insegurança alimentar no Caribe anglófono ao longo dos próximos quatro anos não será fácil, mas seria mais uma conquista significativa para a região que ele sob sua responsabilidade junto à FAO.