FAO lista sete conexões e contribuições do ecossistema animal ou vegetal

Biodiversidade significa a variedade de vida vegetal e animal no mundo. Inclui genética, espécies e variedade de ecossistemas. Quando há uma rica diversidade de espécies, habitats e genética, os ecossistemas são mais saudáveis, mais produtivos e podem se adaptar melhor a desafios como a mudança climática.

Mais do que apenas variedade, a biodiversidade também é a maneira pela qual diferentes espécies, plantas e animais estão conectados e interagem. O mundo é feito de uma teia invisível que raramente reconhecemos. A perda de espécies, seja animal ou vegetal, pode mudar todo um ecossistema. Isso significa a perda de conexões. A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) listou sete conexões e contribuições do ecossistema das quais você pode não estar ciente.

Foto: FAO

Foto: FAO

Uma pessoa tem cabelos crespos; outra tem cabelos lisos. Uma pessoa bronzeia, outra queima. Isso tudo é por causa de nossos genes e as diferenças neles. Diversidade. É o tempero da vida.

Assim como nossas próprias diferenças, plantas e animais também têm diferenças que podemos ou não ver. Uma variedade de arroz, por exemplo, é mais resistente a inundações do que outra. Uma raça de gado pode resistir à seca, onde outra não pode.

Biodiversidade significa a variedade de vida vegetal e animal no mundo. Inclui genética, espécies e variedade de ecossistemas. Quando há uma rica diversidade de espécies, habitats e genética, os ecossistemas são mais saudáveis, mais produtivos e podem se adaptar melhor a desafios como a mudança climática.

Mais do que apenas variedade, a biodiversidade também é a maneira pela qual diferentes espécies, plantas e animais estão conectados e interagem. O mundo é feito de uma teia invisível que raramente reconhecemos. A perda de espécies, seja animal ou vegetal, pode mudar todo um ecossistema. Isso significa a perda de conexões.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lista sete conexões e contribuições do ecossistema das quais você pode não estar ciente:

1. Agricultura e solos mais saudáveis. A agricultura é geralmente acusada de degradar o solo. No entanto, gerida com cuidado, ela pode aumentar sua saúde. Leguminosas, por exemplo, ajudam a restaurar a vitalidade dos solos, o que, por sua vez, ajuda outras plantas a crescer melhor.

Você sabia que existem mais organismos individuais vivos em uma colher de sopa de solo do que pessoas na Terra? Solos saudáveis ​​são necessários para ajudar nosso alimento a crescer, para extrair carbono do ar e fornecer micróbios dos quais nossos remédios, como a penicilina, são derivados.

Os setores agrícolas são os maiores usuários da biodiversidade. Juntos, eles gerenciam as maiores áreas terrestres, de água doce e marinhas da Terra, seja a biodiversidade “silvestre” na silvicultura e na pesca ou a biodiversidade “domesticada” nos sistemas de produção.

Se gerida de forma sustentável, a agricultura pode contribuir para a conservação da biodiversidade e importantes funções do ecossistema.

2. Nutrição e mudança climática. A biodiversidade agrícola, incluindo os parentes silvestres das culturas, é fundamental para lidar com as mudanças climáticas e garantir o futuro dos alimentos. Esta diversidade proporciona à agricultura variedades de culturas e raças de gado que podem se adaptar melhor às mudanças de temperatura, precipitação e eventos climáticos extremos.

Também é importante nesta era de mudança explorarmos outros tipos de culturas. Das cerca de 400 mil espécies de plantas que foram identificadas, 30 mil são conhecidas por serem comestíveis. No entanto, até agora, apenas 6 mil foram utilizadas como alimentos.

No entanto, em todo o mundo, apenas 150 culturas são cultivadas em qualquer escala significativa. Surpreendentemente, apenas três cultivos (milho, trigo e arroz) fornecem quase 60% de nossas proteínas e calorias diárias. Precisamos expandir nossas dietas para explorar algumas outras variedades que poderiam ser mais nutritivas e poderiam lidar melhor com as mudanças em nosso clima.

3. Pecuária e Sementes. Obviamente, sabemos a importância do gado como fonte de alimento. Na verdade, apenas três espécies — gado, porcos, galinha — fornecem a maior parte do total de calorias em dietas humanas, mas você provavelmente não sabia que elas ajudavam as plantas a crescer também.

Na navegação, pastoreio e ciclagem de nutrientes através da produção de estrume, o gado pode realmente ajudar a distribuir as sementes. Muitas vezes ouvimos sobre a extinção de espécies silvestres, mas as raças de gado também foram afetadas. Cerca de 150 raças de gado foram extintas entre 2000 e 2018.

4. Florestas e água limpa e ar puro. As florestas são uma das mais importantes fontes de diversidade biológica que abrigam habitats diversos para plantas, animais e micro-organismos. Existem aproximadamente 60 mil espécies de árvores no mundo. As florestas protegem não apenas várias espécies, mas também atuam como filtros naturais que ajudam a purificar nossas fontes de água.

Elas também sequestram e armazenam carbono, limpando e resfriando o ar. Perder florestas significa perder novas fontes de água. Atualmente, as florestas naturais em todo o mundo diminuíram de 10,6 milhões de hectares na década de 1990 para 6,5 ​​milhões de hectares entre 2010 e 2015. A restauração de florestas ajuda a garantir água mais limpa e ar mais puro, além de manter habitats para uma grande variedade de espécies.

5. Florestas mal geridas e diminuição da população de peixes. Alguma vez você pensou sobre o fato de as florestas e os peixes estarem ligados? Bem, eles estão! Quando as florestas são mal geridas, o fluxo de água torna-se errático. Mais sedimentos fluem a jusante e há menos água doce entregue a outras fontes de água, como lagos e oceanos. Isso afeta negativamente a pesca, afetando a saúde ou causando a morte de certos tipos de peixes. Isto significa que há menos peixe para consumo humano.

6. Mangues e menos inundações. Os manguezais e outros tipos de vegetação costeira, como gramíneas marinhas e salinas, podem manter os pisos costeiros e reduzir o tamanho das ondas, diminuindo as chances ou o impacto das inundações.

De fato, florestas e terras agrícolas reduzem os riscos e danos causados ​​por inundações, tempestades, tsunamis, avalanches, deslizamentos de terra e secas. A expansão da aquicultura é uma das principais causas do desmatamento de manguezais. Em geral, o crescimento das comunidades, o aumento do desenvolvimento de infraestrutura, a poluição da água, o turismo descuidado e o aumento da acidez da água estão afetando a vegetação costeira, o que, em última análise, significa impactos mais fortes de desastres naturais.

7. Segurança alimentar e biodiversidade. A biodiversidade de animais, peixes ou culturas é, na verdade, uma necessidade subjacente de nossa produção de alimentos e segurança alimentar. Ter uma variedade diversa de culturas, algumas mais nutritivas ou que crescem mais rapidamente, algumas que estão mais bem adaptadas à seca ou a altas temperaturas e outras que precisam de menos água, são todas necessárias para enfrentar os desafios da mudança climática e das populações em crescimento.

E não são apenas variedades de culturas, é a diversidade de solos que ajuda as plantas a crescer, a variedade de polinizadores que ajuda as plantas a se reproduzir e a criar as frutas e verduras de que tanto precisamos; é a diversidade de insetos, alguns dos quais são inimigos naturais das pragas que podem atacar a produção agrícola. A biodiversidade, ao que parece, é necessária para garantir nosso futuro de alimentos e nutrição.

A biodiversidade precisa fazer parte do modo como pensamos sobre a natureza, o bem-estar humano e a saúde. Precisa fazer parte de nossa perspectiva, nossas políticas e nossas leis.

É importante para a FAO tornar a biodiversidade um conceito conhecido e prontamente reconhecido. Como parte de seu compromisso com a biodiversidade, a FAO está apoiando os países na criação de uma boa governança, permitindo que estruturas e incentivos incluam a biodiversidade em todas as agendas.

Assumir como eterno tudo que a natureza faz pelo mundo ameaça nosso próprio futuro e o futuro do meio ambiente. A FAO está garantindo que a biodiversidade seja levada em consideração em todos os níveis, para que possamos valorizar o que é aparentemente invisível e torná-lo conhecido.