FAO elogia exportação de milho pela Argentina e pede mais participação do setor privado na agricultura

País sul-americano irá exportar um adicional de 2,75 milhões de toneladas de milho em 2012. José Graziano afirmou que medida ajuda a aliviar pressão no mercado internacional de alimentos.

José Graziano (esquerda) no encontro com o Ministro da Agricultura da Argentina, Norberto Yauhar

O Diretor Geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva, disse que as exportações adicionais de 2,75 milhões de toneladas de milho pela Argentina em 2012 irão ajudar a aliviar a pressão no mercado internacional de alimentos. A declaração foi feita num comunicado de imprensa nesta sexta-feira (14).

“Isso irá mostrar que não há ameaça de uma crise global de alimentos no presente, embora tenhamos que continuar a ser vigilantes e monitorar a situação de perto”, disse o Diretor da FAO. O anúncio das novas exportações foi feito pelo Ministro da Agricultura da Argentina, Norberto Yauhar, num encontro com Graziano na sede da FAO em Roma.

A seca neste verão nos Estados Unidos, a pior no país em mais de 50 anos, gerou temores de uma crise alimentar, quando o índice da FAO de preços de alimentos subiu seis por cento em julho. No entanto, os preços de comida mantiveram-se estáveis no mês passado.

Graziano também pediu maior participação do setor privado no investimento em agricultura para combater a fome. A declaração foi feita na quinta-feira (13) numa conferência sobre investimentos privados na agricultura, realizada em Istambul. “Não há uma libertação da fome e não há segurança alimentar sem a participação ativa de todos os setores da sociedade, incluindo o setor privado”, disse o brasileiro.