FAO elogia comprometimento de países latino-americanos e caribenhos na luta contra a fome

Diretor-geral da FAO elogiou o compromisso estabelecido pelos chefes de Estado na declaração final do segundo encontro da CELAC para erradicar a fome, a pobreza e a exclusão social.

Trabalhador em cooperativa agrícola cubana. Foto: FAO

Trabalhador em cooperativa agrícola cubana. Foto: FAO

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, saudou nesta quinta-feira (30) o compromisso estabelecido pelos chefes de Estado latino-americanos e caribenhos de continuar com os esforços para a erradicação da fome e da pobreza na região.

Na declaração final do segundo encontro da Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (CELAC), realizado de 28 a 29 de janeiro em Havana, em Cuba, os líderes regionais reafirmaram que para erradicar a pobreza e a fome é necessário estimular políticas econômicas que favoreçam a produtividade e o desenvolvimento de suas nações, trabalhar para fortalecer a ordem econômica mundial em benefício dos países e desenvolver a solidariedade e a cooperação.

O diretor-geral da FAO também elogiou a “alta prioridade” dada pela Declaração ao fortalecimento da segurança alimentar e nutricional, da educação, da propriedade da terra, do desenvolvimento da agricultura — incluindo a familiar e a camponesa — como fatores decisivos para a erradicação da fome, da pobreza e da exclusão social.

No Ano Internacional da Agricultura Familiar, Graziano da Silva apoiou especialmente a menção realizada aos pequenos produtores agrícolas como atores-chave para alcançar a segurança alimentar.

“A FAO compartilha do compromisso dos países de trabalhar juntos fazendo frente ao desafio comum da fome na região pelo fortalecimento dos mecanismos nacionais e regionais para a sua erradicação”, disse Graziano da Silva, explicando que a agência da ONU continuará apoiando os países em seus esforços.