FAO e Mercosul criam aliança para apoiar agricultura familiar na região

Bloco regional e agência da ONU apoiarão pequenos produtores na Argentina, Brasil, Chile, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Setor gera mais de 50% do emprego agrícola na América Latina e no Caribe.

FAO e Mercosul criam aliança para apoiar agricultura familiar na regiãoUma nova aliança estratégica para promover a agricultura familiar foi estabelecida nesta quinta-feira (28) pelos países do Mercosul e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Reunidos em Santiago, Chile, membros da Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar do Mercosul (REAF), cuja Presidência atual é do Uruguai, e a FAO formalizaram uma parceria para apoiar pequenos produtores na Argentina, Brasil, Chile, Paraguai, Uruguai e Venezuela – um setor que gera mais de 50% do emprego agrícola na América Latina e no Caribe.

“Hoje, há uma grande oportunidade: uma mudança de paradigma na produção de alimentos na região para uma sociedade inclusiva, sustentável, que estimule e reconheça a agricultura familiar como um principais atores agrícolas”, disse Carla Campos Bilbao, Secretaria de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar do Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca da Argentina.

A cooperação entre a REAF e a FAO será realizada no âmbito do Fundo de Agricultura Familiar do Mercosul, uma ferramenta criada pelos países do bloco. “A FAO e a REAF compartilham objetivos estratégicos com nosso trabalho, podemos alcançar sinergias significativas”, disse Fernando Rodríguez, representante da Presidência pro tempore uruguaia da REAF.

Segundo dados do Mercosul, há 5,2 milhões de estabelecimentos de propriedade ou conduzidos por agricultores familiares, contribuindo com 38% do valor da produção agrícola no Brasil, 30% no Uruguai, 25% no Chile, 20% no Paraguai e 19% na Argentina.