FAO e Brasil firmam plano para ampliar cooperação com países em desenvolvimento

Em Roma, o ministro do Desenvolvimento Social do Brasil, Alberto Beltrame, assinou na quarta-feira (17) um plano estratégico que define os rumos da parceria entre o país e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Documento prevê a ampliação de iniciativas de cooperação Sul-Sul, com países da América Latina, Caribe e África, nas áreas alimentação e proteção social. O marco também aborda a colaboração da FAO com o governo brasileiro nas áreas de nutrição, alimentação escolar e agricultura familiar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em Roma, o ministro do Desenvolvimento Social do Brasil, Alberto Beltrame, assinou na quarta-feira (17) um plano estratégico que define os rumos da parceria entre o país e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Documento prevê a ampliação de iniciativas de cooperação Sul-Sul, com países da América Latina, Caribe e África, nas áreas alimentação e proteção social.

O marco também aborda a colaboração da FAO com o governo brasileiro nas áreas de nutrição, alimentação escolar e agricultura familiar. O organismo da ONU deverá auxiliar o país a melhorar suas políticas nutricionais, por meio, por exemplo, da criação de padrões de rótulos e embalagens para produtos industrializados. Outra pauta defendida pela agência e pelo Estado é a redução na quantidade de sódio e de açúcar nos alimentos.

O texto também prevê a consolidação das políticas brasileiras de alimentação escolar, sobretudo as que vinculam as refeições em centros de ensino ao aproveitamento de produtos da agricultura familiar.

“Hoje, reafirmamos nossa cooperação estratégica com o Brasil, para o presente e para o futuro. A FAO apoia e continuará apoiando o país a difundir suas tecnologias sociais e suas experiências bem-sucedidas mundo afora”, afirmou o chefe da FAO, José Graziano da Silva, em cerimônia de assinatura do marco institucional.

Além de Beltrame e do dirigente da agência da ONU, também participaram da reunião o embaixador brasileiro e diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), Ruy Pereira, e representantes dos Ministérios da Saúde e Relações Exteriores e da sociedade civil. Gestores e autoridades participam da 45ª sessão do Comitê Mundial sobre Segurança Alimentar, que acontece nesta semana na sede da FAO.

As modalidades de cooperação Sul-Sul discutidas no documento dão atenção especial à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). O plano resultará em um acordo a ser formalizado pelo Brasil e pela FAO no próximo mês. O memorando vai apresentar os compromissos que o país assumirá no futuro.

“A FAO é um antigo parceiro do Brasil no desenvolvimento de várias políticas para a agricultura e nutrição. Hoje, reafirmamos a intenção do governo brasileiro de renovar esses compromissos. Temos diversas tecnologias sociais que despertam o interesse de vários países, e a FAO nos dá um melhor respaldo para atuar de uma maneira mais coordenada nessa cooperação”, disse o chefe da pasta do Desenvolvimento Social.