FAO: América Latina e Caribe já cumpriram 92% da meta estabelecida pela Cúpula Mundial da Alimentação

Governos devem duplicar suas ações para que 2,75 milhões de pessoas superem a insegurança alimentar na região até janeiro de 2015 – a média de redução dos últimos 20 anos foi de 1,4 milhão de pessoas por ano.

Restaurante Popular da Liberdade, Bahia. Foto: Flickr/Carol Garcia/GOVBA

Restaurante Popular da Liberdade, Bahia. Foto: Flickr/Carol Garcia/GOVBA

A América Latina e o Caribe já atingiram 92% dos avanços necessários para cumprir a meta da Cúpula Mundial da Alimentação, que visa a reduzir à metade o número total de pessoas que sofrem de insegurança alimentar desde o período entre 1990 e 1992. Para alcançá-la, ainda são necessários intensos esforços, de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Segundo o relatório da FAO, Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional 2014, os governos devem duplicar suas ações para que 2,75 milhões de pessoas superem a insegurança alimentar na região até janeiro de 2015 – a média de redução dos últimos vinte anos foi de 1,4 milhão de pessoas por ano. 

No entanto, 14 países da região já alcançaram a meta para a insegurança alimentar estabelecida pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) – dentre os quais incluem-se Brasil, Chile, Cuba, Argentina, Uruguai, Peru e Venezuela. Enquanto isso, Bolívia, Colômbia, Honduras e Suriname apresentam níveis de avanço superiores a 90% da meta. 

A FAO assinala que uma compreensão mais abrangente da segurança alimentar e nutricional foi essencial para a redução dos índices da fome de 15,3% para 6,1% entre 1990 e 2014. Nesse sentido, foram adotadas estratégias integradas para o fortalecimento da agricultura familiar, o combate à pobreza e o estabelecimento de melhores canais de comércio.
 
A América Latina e o Caribe se destacam positivamente no combate à insegurança alimentar por conta do elevado compromisso político para a elaboração de políticas públicas voltadas às camadas mais vulneráveis – aliado ao crescimento econômico e à estabilidade política da região.