FAO abre consulta com atores não governamentais sobre atividades na América Latina e Caribe

Até 28 de fevereiro, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) recebe contribuições da sociedade civil, setor privado e instituições acadêmicas para definir os rumos de suas atividades na América Latina e no Caribe. Organismos não governamentais estão convidados a participar de consulta online realizada pela agência da ONU para estabelecer prioridades ao longo do biênio 2018-2019.

O comércio líquido de produtos agrícolas na América Latina alcançará 60 bilhões de dólares, uma valor três vezes mais alto do que o registrado em 2000. Foto: SMCS/Jaelson Lucas

Metade das pessoas que passam fome na América Latina e no Caribe vivem na América do Sul. Foto: SMCS/Jaelson Lucas

Até 28 de fevereiro, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) recebe contribuições da sociedade civil, setor privado e instituições acadêmicas para definir os rumos de suas atividades na América Latina e no Caribe. Organismos não governamentais estão convidados a participar de consulta online realizada pela agência da ONU para estabelecer prioridades ao longo do biênio 2018-2019.

A chamada da FAO antecede a sua 35ª Conferência Regional para a América Latina e o Caribe. O encontro acontece dos dias 5 a 8 de março na Jamaica. A reunião é a instância decisória mais alta da agência da ONU a nível regional. Representantes de 33 países-membros da FAO discutirão o trabalho da instituição e definirão os temas e estratégias de maior importância para os próximos dois anos.

Os atores não governamentais podem fazer recomendações à FAO por meio de um questionário virtual — clique aqui para participar.

As perguntas são inspiradas num documento de trabalho que traça um panorama sobre os seguintes assuntos: América Latina e Caribe sem fome; agricultura familiar e sistemas alimentares inclusivos para o desenvolvimento rural sustentável; uso sustentável dos recursos naturais, adaptação às mudanças climáticas e gestão de riscos. Acesse o documento clicando aqui.