FAO: 80% da exploração agropecuária na América Latina e Caribe vem da agricultura familiar

No Cone Sul, 34% da superfície agrícola está nas mãos da agricultura familiar.

Foto: FAO

Cerca de 16,5 milhões das explorações agrícolas na América Latina e no Caribe pertencem à agricultura familiar. O número representa 60 milhões de pessoas, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (29) pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), por meio da publicação Agricultura Familiar na ALC: Recomendações de Política.

“A importância da agricultura familiar para a segurança alimentar da América Latina e do Caribe é indiscutível. Isso já é reconhecido pelos governos da região, que colocaram os pequenos agricultores como uma das iniciativas prioritárias para o trabalho da FAO durante a última Conferência Regional”, afirmou o representante regional da FAO, Raúl Benítez.

De acordo com a publicação, oito de cada dez explorações agrícolas na América Latina pertencem à agricultura familiar; 56% delas (mais de 9,2 milhões) estão na América do Sul, 35% na América Central e no México (5,8 milhões) e 9% no Caribe (1,5 milhão).

Em todos os países da região o setor é majoritário na agricultura: em Antígua e Barbuda, Chile, Guiana, Suriname, Haiti, Honduras e Paraguai mais de 90% de todas as explorações pertencem ao setor, e em Granada, República Dominicana, Santa Lucia, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá, Equador e Brasil mais de 80% delas fazem parte da agricultura familiar.

23% da superfície agrícola regional nas mãos de pequenos agricultores

A informação disponível, tendo como base 12 países da região, revela que cerca de 23% da superfície agrícola da América Latina e do Caribe estão nas mãos da agricultura familiar, uma proporção que varia de 13% nos países andinos e 34% nos países do Cone Sul.

Na região coexistem pequenas explorações — juntas com as de médio e de grande porte: a média do tamanho das explorações que pertencem à agricultura familiar alcança 13 hectares. Mas vale ressaltar que excluindo os países do Cone Sul dessa análise, o tamanho médio das explorações no resto da região cai a 2,51 hectares.

“Se considerarmos as contribuições do setor em relação a emprego e produção de alimentos, fica claro que falar da agricultura na América Latina e no Caribe é falar de agricultura familiar. São atores-chave e aliados fundamentais para alcançar a meta de fome zero em todos os países”, ressaltou Raúl Benítez.