Experiência norueguesa de igualdade pode servir de exemplo para a América Latina e o Caribe, diz ONU

“Noruega e a região da América Latina e o Caribe têm grandes razões para fortalecer seus laços de entendimento mútuo e colaboração”, enfatizou Bárcena.

Oslo, Noruega. Foto: Ulf Bodin/ Flickr (Creative Commons)

Oslo, Noruega. Foto: Ulf Bodin/ Flickr (Creative Commons)

A experiência norueguesa pode aportar à mudança estrutural para a igualdade na América Latina e no Caribe, uma ação promovida pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL). Segundo a secretária executiva da organização, Alice Bárcena, o desenvolvimento da Noruega, que conseguiu combinar o crescimento econômico, com a preocupação com o bem-estar dos seus cidadãos e com a preocupação ambiental, serve de exemplo para a região.

A secretária-geral viajou a Noruega a convite da Universidade de Oslo, onde participou na última quarta-feira (03) de uma conferência magistral intitulada “Igualdade e desenvolvimento sustentável: uma perspectiva latino-americana e caribenha”.

O sucesso norueguês se baseia no modelo que busca o emprego pleno através da adaptação dos setores industriais e de serviços em lugar do protecionismo. Ela destacou especialmente a governabilidade democrática, a normativa laboral e a gestão de recursos naturais do país.

“Noruega e a região da América Latina e o Caribe têm grandes razões para fortalecer seus laços de entendimento mútuo e colaboração”, enfatizou Bárcena. “Na base de nossa visão compartilhada de sociedade devem estar a igualdade, a justiça, a dignidade e a solidariedade”, disse.