Ex-ministra da cultura francesa é nomeada chefe da UNESCO

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Os Estados-membros da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) nomearam na sexta-feira (10) Audrey Azoulay, ex-ministra da cultura francesa, para o principal cargo na agência.

Nascida em 1972, Audrey Azoulay atuou como ministra da Cultura da França de fevereiro de 2016 a maio de 2017. Ela é formada em administração pública pela Escola Nacional de Administração da França, tem MBA pela Universidade de Lancaster (Reino Unido) e um diploma em ciência política pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris (Sciences Po).

A francesa Audrey Azoulay foi nomeada diretora-geral da UNESCO. Foto: ONU/Manuel Elias

A francesa Audrey Azoulay foi nomeada diretora-geral da UNESCO. Foto: ONU/Manuel Elias

Os Estados-membros da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) nomearam na sexta-feira (10) Audrey Azoulay, ex-ministra da cultura francesa, para o principal cargo na agência.

“Penso agora em todas as pessoas que encontrei nos últimos meses, ou encontrei em minhas diversas funções profissionais, que têm grandes expectativas em relação à UNESCO”, disse Azoulay durante conferência geral da agência, que endossou a indicação feita pelo Conselho Executivo em 13 de outubro.

Azoulay, que substituirá a diretora-geral Irina Bokova, assumirá o cargo na quarta-feira (15).

“Penso em todos vocês que estão cientes das dificuldades da Organização, mas sabem que esta é insubstituível, essencial, frente aos atuais desafios globais”, disse.

Nascida em 1972, Audrey Azoulay atuou como ministra da Cultura da França de fevereiro de 2016 a maio de 2017. Ela é formada em administração pública pela Escola Nacional de Administração da França, tem MBA pela Universidade de Lancaster (Reino Unido) e um diploma em ciência política pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris (Sciences Po).

Ela é a 11ª diretora-geral da UNESCO e a segunda mulher a ocupar essa posição.

A UNESCO é responsável por coordenar a cooperação internacional em educação, ciência, cultura e comunicação. O tema da Organização é “Construindo a paz nas mentes de homens e mulheres”, e seu mandato envolve questões como educação no século 21, impulso à liberdade de expressão, proteção das heranças culturais e dos oceanos.


Mais notícias de:

Comente

comentários