Ex-chefe da inteligência do exército sérvio-bósnio se recusa a testemunhar em Tribunal da ONU

Dragomir Pecanac foi acusado de desacato ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia após se recurar a ser testemunha.

Dragomir PecanacO ex-chefe da inteligência e segurança do exército sérvio-bósnio, Dragomir Pecanac, foi acusado de desacato ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPIJ), ao recusar-se a testemunhar durante o julgamento do seu ex-comandante, Zdravko Tolimir.

Além da acusação de genocídio, Tolimir também responde por conspiração para cometer genocídio, extermínio, assassinato, perseguições, transferências forçadas e deportações. As acusações estão relacionadas a uma série de eventos durante a guerra dos Balcãs, incluindo o massacre de milhares de muçulmanos em julho de 1995, em Srebrenica.

O Tribunal já indiciou 161 pessoas por crimes cometidos durante os conflitos na Croácia (1991-1995), Bósnia e Herzegóvina (1992-1995), Kosovo (1998-1999) e a antiga República Iugoslava da Macedônia (2001).