Evento promovido pela ONU no Rio incentiva discussão sobre redução de risco de desastres no Brasil

Escritório da ONU para a Redução de Riscos de Desastre, iniciativa privada e Secretaria de Defesa Civil da cidade do Rio abordam a gestão sustentável de riscos no planejamento corporativo.

Evento aconteceu no Centro de Operações da Prefeitura do Rio. Foto: UNIC Rio/Heloísa Traiano

Evento aconteceu no Centro de Operações da Prefeitura do Rio. Foto: UNIC Rio/Heloísa Traiano

O Segundo Encontro da Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres (RRD) no Brasil foi realizado nesta sexta-feira (31) no Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro. O evento foi organizado pelo Escritório das Nações Unidas para a RRD (UNISDR) e contou com a presença de representantes dos setores público e privado.

O principal foco do debate foi a importância da participação corporativa na elaboração de novas iniciativas em favor da sustentabilidade e da gestão dos riscos gerados pelas catástrofes naturais e pelas mudanças climáticas. A temática se faz cada vez mais presente no planejamento estratégico de grandes empresas, uma vez que a ausência de controle e de monitoramento pode representar a maximização de impactos negativos financeiros e de reputação para a execução de suas atividades.

A gerente de contas da empresa NEC na América Latina, Fernanda Mendes, ressaltou a importância de integrar e gerar visibilidade para as iniciativas já existentes no setor privado: “A iniciativa é importante porque é muito oportuna. Já estamos vivendo os problemas na pele e essa pró-atividade é necessária. Alguém tem que começar a fazer essas costuras”.

“O que a defesa civil mostrou para todo este público do setor privado, principalmente de empresas mineradoras e de seguros, foi o amadurecimento e a seriedade com que a agência da defesa civil, enquanto órgão público, está tratando as mudanças climáticas e a construção de comunidades mais resilientes para, assim, verificar como elas podem aportar as nossas estratégias”, afirmou o subsecretário de defesa civil do Rio de Janeiro, coronel Marcio Motta, que apresentou as inovações do trabalho da Prefeitura e a estrutura de funcionamento do Centro de Operações Rio.

O chefe do Centro de Excelência para a Redução de Risco de Desastres (CERRD), estabelecido pelo UNISDR, David Stevens, comentou a importância da realização do evento no Rio de Janeiro, cidade seguidamente afetada pelas catástrofes naturais.

“Fizemos essa reunião no Centro de Operações do Rio de Janeiro porque esse é um centro de ponta e de vanguarda. Foi uma oportunidade de mostrar para o setor privado que o setor público também, em muitas cidades brasileiras, já está fazendo um trabalho de ponta na área de redução de risco, uma forma de alavancar em cima do que já está sendo feito”, completou.