Evento no Zimbábue celebrará Dia Africano de Alimentação Escolar

Em 1º de março, a União Africana vai celebrar o terceiro Dia Africano de Alimentação Escolar. O evento oficial deste ano acontecerá no Zimbábue, e celebrações nacionais e sub-nacionais simultâneas são esperadas.

A data marca o compromisso do continente com a mobilização de um ambiente propício para a governança e o estabelecimento de políticas públicas de alimentação escolar. O relato é do Centro de Excelência contra a Fome — fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Celebrações do Dia Africano de Alimentação Escolar em 2017. Foto: PMA

Celebrações do Dia Africano de Alimentação Escolar em 2017. Foto: PMA

Em 1º de março, a União Africana vai celebrar o terceiro Dia Africano de Alimentação Escolar. O evento oficial deste ano acontecerá no Zimbábue, e celebrações nacionais e sub-nacionais simultâneas são esperadas.

A data marca o compromisso do continente com a mobilização de um ambiente propício para a governança e o estabelecimento de políticas públicas de alimentação escolar. O tema deste ano é “Governança para propiciar o pleno potencial de crianças e adolescentes africanos por meio da promoção de programas sustentáveis de alimentação escolar”.

O evento no Zimbábue vai destacar as boas práticas dos países-membros da União Africana na inclusão da alimentação escolar na agenda política como um tópico vinculado ao desenvolvimento nacional.

Também vai promover a discussão sobre mecanismos multi-setoriais de inclusão da alimentação escolar nos planos nacionais de desenvolvimento. Para isso, os participantes vão apresentar os principais resultados do estudo “Alimentação escolar sustentável na União Africana” e dos debates recentes do Grupo de Trabalho de Alimentação Escolar da Comissão da União Africana.

Com o avanço da União Africana em direção à sua Agenda 2063, à Estratégia Continental de Educação para a África e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, é preciso destacar boas práticas e manter a atenção voltada para as metas de progresso.

Desde 2016, a União Africana vem promovendo a alimentação escolar como uma ferramenta para contribuir para a governança africana, graças a seus impactos inter-setoriais em educação, saúde, nutrição, agricultura e envolvimento da sociedade civil que contribuem para a melhoria dos indicadores socioeconômicos nacionais, regionais e continentais.

Para criar um ambiente propício e fortalecer as capacidades dos países de elaborar políticas públicas, é imprescindível fomentar o potencial criativo de tomadores de decisão e técnicos. Para operacionalizar essa ideia, a Assembleia da União Africana estabeleceu em janeiro de 2016 o 1º de março como o Dia Africano de Alimentação Escolar.

As evidências que embasam as discussões durante as celebrações oficiais do Dia Africano de Alimentação Escolar reconhecem que a alimentação escolar, especialmente quando vinculada à agricultura local, não é um custo, mas um investimento que promove: melhoria do capital humano; ampliação do acesso a atividades de geração de renda; aumento da produção nacional de alimentos; impactos em educação e aprendizagem, saúde e nutrição, desenvolvimento agrícola e econômico.

O Dia Africano de Alimentação Escolar foi criado após uma visita de estudos de uma delegação da União Africana ao Brasil para conhecer a abordagem multi-dimensional brasileira de alimentação escolar.

Desde então, o Cento de Excelência contra a Fome tem trabalhado em parceria com a União Africana e o escritório do Programa Mundial de Alimentos para a África para apoiar os esforços continentais para adotar a alimentação escolar como ferramenta de promoção do desenvolvimento sustentável.