Evento em SP debate inserção social e violação dos direitos humanos das pessoas trans no Brasil

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Desde a última quinta-feira (15), a Campanha da ONU Brasil Livres & Iguais participa de várias ações em parceria com a Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil (Rede Trans) no âmbito das atividades que antecedem a Parada LGBT de São Paulo. Em 2016 foram pelo menos 144 pessoas trans assassinadas; em junho de 2017, esse número já chega a 75.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desde a última quinta-feira (15), a Campanha da ONU Brasil Livres & Iguais participa de várias ações em parceria com a Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil (Rede Trans) no âmbito das atividades que antecedem a Parada LGBT de São Paulo.

Nessa sexta-feira (16), a assessora de Direitos Humanos das Nações Unidas no país, Angela Pires Terto, discutiu o tema durante o encontro “Ação transada”.

Segundo o relatório da Rede Trans Brasil (redetransbrasil.org), em 2016 foram pelo menos 144 pessoas trans assassinadas. Em junho de 2017, esse número já chega a 75.

Confira a série de cartões-postais “Sobre Viver Trans: histórias de afeto e empoderamento pela visibilidade das pessoas trans” clicando aqui. Saiba mais sobre o projeto “Trans-Formação do DF e Entorno” clicando aqui. Confira o vídeo “O amor transforma preconceitos”:

Saiba mais sobre a campanha Livres & Iguais em www.onu.org.br/campanha/livreseiguais e www.unfe.org/pt.


Mais notícias de:

Comente

comentários