Europa deve fazer sua voz ser ‘mais ouvida’ em nosso ‘perigoso’ mundo, diz chefe da ONU

Em um mundo cada vez mais “perigoso”, a União Europeia precisa fazer sua voz ser “mais ouvida” como um “pilar central” para o multilateralismo, afirmou o secretário-geral das Nações Unidas durante visita a Bruxelas, sede do principal organismo multilateral europeu.

Secretário-geral da ONU, António Guterres (à esquerda), e Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, dão declarações a repórteres em uma coletiva de imprensa em Bruxelas. Foto: Comissão Europeia

Secretário-geral da ONU, António Guterres (à esquerda), e Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, dão declarações a repórteres em uma coletiva de imprensa em Bruxelas. Foto: Comissão Europeia

Em um mundo cada vez mais perigoso, a União Europeia (UE) precisa fazer sua voz ser “mais ouvida” como um “pilar central” para o multilateralismo, afirmou o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em visita a Bruxelas neste mês (16).

Discursando no coração da UE, o chefe da ONU declarou a repórteres que as mudanças climáticas, a multiplicação de conflitos e o regime global de não proliferação são ameaças não apenas às instituições multilaterais, como também ao sistema de direito internacional.

“Vivemos em um mundo perigoso. Pela primeira vez em muitas décadas, o regime de não proliferação, tanto de armas nucleares quanto de armas químicas, foi posto em questão”, afirmou Guterres em uma coletiva de imprensa com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

Ele destacou que a ‘guerra fria’ está de volta, porém sem os mecanismos de diálogo que existiam nas relações entre o ‘Ocidente’ e a União Soviética para garantir que “as coisas não saíssem de controle”.

“Temos uma multiplicação de conflitos em todos os lugares, cada vez mais ligados uns com os outros, e relacionados a uma ameaça global de terrorismo que pode atingir qualquer lugar do mundo”, continuou.

O chefe da ONU citou as mudanças climáticas como mais um desafio, afirmando que, embora a globalização tenha trazido grandes benefícios, o processo também aumentou “dramaticamente” a desigualdade, além de trazer impactos à segurança em todo o mundo.

“Nesse mundo perigoso, é absolutamente essencial preservar duas coisas: instituições de governança multilateral e a soberania da lei nas relações internacionais”, enfatizou Guterres.

Reforçando o papel crucial da Europa nesse processo, o secretário-geral fez um apelo à União Europeia para “ser cada vez mais unida, efetiva e presente, para que sua voz seja mais ouvida nas relações internacionais como um pilar central para o multilateralismo no mundo de hoje”.

O secretário-geral concluiu declarando que a ONU apoia os esforços da EU para “resgatar” o acordo nuclear com o Irã, conhecido como Plano de Ação Conjunto Global, do qual os Estados Unidos se retiraram, além de outros esforços “de maneira a criar condições para um mundo onde a paz, segurança, desenvolvimento sustentável e ação contra a mudança global do clima sejam as atividades principais e de cooperação comum”.