Estudo da ONU aborda deslocamento de crianças desacompanhadas na América Central

Pesquisa revela que a violência e a perseguição promovidas pelo crime organizado são as principais causas da fuga das crianças.

Estudo ouviu 280 crianças da América Central que deixaram suas casas. Foto: ACNUR

Estudo ouviu 280 crianças da América Central que deixaram suas casas. Foto: ACNUR

Encomendado pelo Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR) e financiado pelo Departamento de Ajuda Humanitária da Comissão Europeia (ECHO, na sigla em Inglês), o estudo pretende compreender o que motiva a saída de crianças da Guatemala, Honduras e El Salvador e identificar sua necessidade de proteção internacional, incluindo o reconhecimento da condição de refugiado.

O documento, intitulado Arrancados pela Raiz, utilizou uma metodologia mista baseada em entrevistas individuais e em grupos. Ao todo, foram ouvidos cerca de 280 crianças e adolescentes da América Central, acolhidos nas Estações Migratórias da Cidade do México, Tapachula e Chiapas, de outubro a dezembro de 2013.

A pesquisa revela que a violência e a perseguição promovidas pelo crime organizado são as principais causas da fuga de crianças e adolescentes destes três países – e não apenas a precariedade das condições econômicas e sociais ou a separação de suas famílias.

Arrancados pela Raiz mostra que entre as múltiplas violências sofridas por estas crianças que viajam desacompanhadas estão agressões físicas, intimidações, ameaças, violência doméstica e sexual – evidenciando o grave nível de insegurança em que elas se encontram em certas regiões do Triângulo Norte da América Central.

Conheça mais detalhes deste documento clicando aqui.