Estudo avalia impacto do Programa Bolsa Família na redução da mortalidade infantil

De acordo com os resultados da pesquisa publicada na revista ‘The Lancet’, o Bolsa Família reduziu de 17% a mortalidade geral entre crianças nos municípios onde tinha alta cobertura. Estudo contou com colaboração de coordenador da ONU na área de desenvolvimento sustentável.

Foto: Bruno Spada/MDSEstudo inédito avalia a relação entre o Programa Bolsa Família (PBF) e a redução da mortalidade entre crianças brasileiras menores de cinco anos.

A pesquisa, que se concentrou no estudo do período de 2004 a 2009, teve como objetivo avaliar o efeito do PBF sob as taxas de mortalidade em crianças menores de cinco anos nos municípios brasileiros, centrando-se em causas associadas à pobreza, como a desnutrição, diarreia e infecções respiratórias, além de alguns dos potenciais mecanismos intermediários, tais como vacinação, assistência pré-natal e internamentos hospitalares.

Dados de quase três mil municípios brasileiros e avançados métodos analíticos foram utilizados.

De acordo com os resultados da pesquisa publicada na revista The Lancet, o Bolsa Família reduziu de 17% a mortalidade geral entre crianças nos municípios onde tinha alta cobertura, sendo que esta redução foi ainda maior quando considerou-se a mortalidade especifica por algumas causas como desnutrição (65%) e diarreia (53%).

O Programa Saúde da Família (PSF) contribuiu também na redução da mortalidade em menores de cinco anos em efeito sinérgico com o PBF.

A explicação do efeito do PBF é que o aumento da renda possibilitada pela transferência de benefícios permite o acesso a alimentos e outros bens relacionados com a saúde. Esses fatores ajudam na redução da pobreza das famílias, melhora as condições de vida, elimina as dificuldades no acesso à saúde e consequentemente, contribui para diminuição das mortes entre crianças.

A pesquisa foi conduzida por Davide Rasella, mestre em saúde comunitária e doutor em saúde pública pela UFBA como parte do seu programa de doutorado, e contou com a colaboração de diversos pesquisadores, entre os quais Romulo Paes-Sousa, PhD em epidemiologia ambiental pela Universidade de Londres, coordenador do Centro Rio+ para o Desenvolvimento Sustentável, uma parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o governo brasileiro, e pesquisador associado do Institute of Development Studies, University of Sussex, Brighton, UK.

Saiba mais em clicando aqui.

Na quinta-feira, 23 de maio, um seminário reúne especialistas e gestores para apresentar e discutir o estudo. O evento será das 9h30 às 11h30 na Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em Brasília (DF). Acompanhe ao vivo através do link:
http://assiste.serpro.gov.br/enap/bolsafamíliaemortalidadeinfantil