Estudantes competem por prêmio de turismo sustentável promovido pelo PNUMA no Rio

Equipe Arch4, maior vencedora da Premiação. Foto: PNUMA

Estudantes da faculdade Estácio de Sá participaram de uma competição promovida pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, para escolher o melhor projeto em termos de turismo sustentável para a cidade do Rio de Janeiro. O evento aconteceu na noite de sexta-feira (04), na sede do Comitê Rio 2016, na cidade do Rio.

A premiação é resultado do Desafio Passaporte Verde 2016 de Inovação e Turismo Sustentável e se insere na parceria de sustentabilidade com o Rio 2016, tendo o PNUMA como um dos jurados para a escolha dos vencedores. A convocatória contou com 21 projetos inscritos e entre os três premiados estão Arch4, sobre a Zona Portuária; Ubuntu MoNa, sobre o Pão de Açúcar; e AXE sobre o Circo Voador.

Essa foi a primeira edição, que teve o objetivo de estimular os estudantes de vários cursos (engenharia, arquitetura, serviço social) a desenvolver um olhar diferenciado sobre processos de ecoeficiência e sociedade ambiental para os atrativos turísticos na cidade do Rio. Os alunos desenharam projetos e foram a campo preparar as propostas de soluções de ecoeficiência.

Dentre os critérios analisados para escolha do prêmio, estavam caráter inovador e relevância do problema, capacidade de mobilização e engajamento do usuário, viabilidade de execução, consistência na descrição da solução, capacidade de argumentação e defesa.

O grupo que levou o terceiro lugar, AXE Arquitetura X Energia, fez um projeto inovador para o espaço cultural Circo Voador, que pretende literalmente transformar a alegria do público em energia elétrica. Sob o nome “A energia que contagia”, o projeto prevê que, conforme os visitantes dançarem no piso, o calor gerado seja convertido em iluminação para a lona do circo.