‘Estamos aqui para vocês’, diz secretário-geral da ONU em visita à região do Sahel

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, em Bamako, Mali. Foto: Banco Mundial/Dominic Chavez

“Estamos aqui para vocês”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, para a população do Sahel nesta terça-feira (5) dando início a uma visita à região com líderes internacionais da área de desenvolvimento para ouvir as prioridades locais e conciliá-las com os esforços políticos, de segurança, de desenvolvimento e humanitários da região.

“Fizemos uma parceria extraordinária porque reconhecemos que a região do Sahel precisa de um esforço extraordinário”, disse Ban na abertura do Encontro no Sahel, em Bamako, Mali, presidida pelo presidente Ibrahim Boubacar Keita.

O chefe das Nações Unidas é acompanhado na visita pelo presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, e autoridades da União Africana, Banco Africano de Desenvolvimento e a União Europeia.

Mais de 11 milhões de pessoas estão em risco de fome e 5 milhões de crianças menores de cinco anos estão em risco de desnutrição aguda na região do Sahel, que passou por três grandes secas em menos de uma década.

“Estamos aqui para expressar a nossa solidariedade através de palavras e de mostrá-la através da ação”, disse Ban.

Durante a reunião desta terça-feira (5) os participantes discutiram a Estratégia de Gestão Integrada da ONU para o Sahel – que deve guiar os esforços da Organização para o desenvolvimento da capacitação para abordar a resiliência, ameaças transfronteiriças e a governança inclusiva –, aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU e liderada pelo enviado especial para a região, Romano Prodi, que também faz parte da delegação da ONU.

Durante o encontro regional, o presidente Keita pediu um minuto de silêncio em memória de Ghislaine Dupont e Claude Verlon, os dois jornalistas franceses sequestrados e executados no norte do Mali neste sábado (2).

Nas discussões, foi destacada a importância de enfrentar as causas profundas da crise através de uma melhor governança, proteção dos direitos humanos e da extensão da autoridade do Estado em todo o país.

Ban ressaltou a necessidade de um diálogo nacional, reconciliação e uma abordagem inclusiva para as próximas eleições legislativas.

O secretário-geral também assegurou o presidente Keita de seu compromisso em reforçar a capacidade da Missão da ONU no Mali para que ela possa cumprir o seu mandato.

Ban e as delegações visitarão também Níger, Burkina Faso e Chade.

Esta é a segunda visita conjunta dos chefes da ONU e do Banco Mundial para a África em seis meses. Em maio, Ban e Kim viajaram para a região dos Grandes Lagos, também chamando a atenção para a promoção da paz e do desenvolvimento.