Esta é a primeira vez que a ONU adota meta global sobre energia, afirma vice-secretário-geral da ONU

Em encontro da parceria Energia para Todos, durante a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, Jan Eliasson elogiou a iniciativa brasileira Luz para Todos.

Energia geotérmica é convertida em eletricidade e usada para aquecer estufa na Nova Zelândia. Foto: ONU/Evan Schneider

Energia geotérmica é convertida em eletricidade e usada para aquecer estufa na Nova Zelândia. Foto: ONU/Evan Schneider

O vice-secretário-geral da ONU, Jan Eliasson, comemorou a adoção do primeiro objetivo universal sobre energia. A declaração de Eliasson refere-se ao sétimo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS 7), no qual a comunidade internacional se compromete a “assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos” até o ano de 2030.

Falando em evento organizado pela parceria Energia Sustentável para Todos, na sede da ONU em Nova York, neste domingo (27), o vice-secretário-geral da ONU destacou algumas iniciativas locais de sucesso, como a brasileira  Luz para Todos  e o investimento de mais de 100 bilhões de dólares que a Arábia Saudita fará em energia solar em seu território.

“Esta é a primeira vez que as Nações Unidas chegam a um acordo sobre uma meta universal na área da energia, com metas de acesso, energias renováveis, eficiência e meios de implementação. Esta é uma grande notícia – não apenas para a comunidade energética, mas para o desenvolvimento sustentável como um todo. Precisamos de energia sustentável para tudo, para acabar com a pobreza e para combater as alterações climáticas”, afirmou. “Mas este será um trabalho árduo. Criamos a visão e a direção. Agora, temos que tomar medidas concretas, de forma determinada para o benefício de todos”, concluiu Eliasson.