Especialistas de direitos humanos da ONU pedem mais informações sobre a morte de bin Laden

Por meio de um comunicado conjunto lançado nesta sexta-feira (06/05), o Relator Especial sobre a promoção e proteção dos direitos humanos e liberdades fundamentais no combate ao terrorismo, Martin Scheinin, e o especialista em lidar com execuções extrajudiciais, Christof Heyns, pediram aos Estados Unidos que divulguem mais detalhes sobre a ação que matou o Osama bin Laden na segunda-feira (02).

O Relator Especial, Martin ScheininPor meio de um comunicado conjunto lançado nesta sexta-feira (06/05), o Relator Especial sobre a promoção e proteção dos direitos humanos e liberdades fundamentais no combate ao terrorismo, Martin Scheinin, e o especialista em lidar com execuções extrajudiciais, Christof Heyns, pediram aos Estados Unidos que divulguem mais detalhes sobre a ação que matou o Osama bin Laden na segunda-feira (02).

Os dois especialistas, que trabalham de forma independente para o Conselho de Direitos Humanos da ONU, disseram que mais detalhes devem ser divulgados para serem avaliados de acordo com os padrões dos direitos humanos internacionais. Também pretende-se saber se havia planos de capturá-lo vivo. “Ações tomadas por Estados para combater o terrorismo, especialmente em casos de alto perfil, definem precedentes para a forma com que o direito à vida será tratado em instâncias futuras.”

Segundo eles, em casos excepcionais, o uso da força letal pode ser permitido como uma medida de último recurso para proteger a vida, inclusive em operações contra terroristas. “No entanto, a norma deve ser que terroristas devem ser tratados como criminosos, através de processos legais de prisão, julgamento e decisão judicial para a punição”, concluíram.