Especialistas de direitos humanos da ONU alertam para atrocidades cometidas em Kordofan do Sul

Especialistas em direitos humanos da ONU demonstraram preocupação nesta sexta-feira (22/07) com relatos de assassinatos em massa na região sudanesa de Kordofan do Sul e pediram fim imediato da violência contra civis.

Especialistas de direitos humanos da ONU alertam para atrocidades cometidas em Kordofan do SulEspecialistas em direitos humanos da ONU demonstraram preocupação nesta sexta-feira (22/07) com os relatos de assassinatos em massa na região sudanesa de Kordofan do Sul. Eles fizeram um apelo para que haja o fim imediato da violência contra civis e pediram investigações sobre a situação na região, onde há um conflito contínuo entre o Governo e o Exército Popular de Libertação do Sudão (SPLA, na sigla em inglês).

A Perita Independente em questões relacionadas à minorias, Gay McDougall, disse que relatos indicam que pessoas particularmente de ascendência Nuban têm sido alvejadas e mortas em incidentes que podem constituir crimes de guerra e crimes contra a humanidade. Ela reiterou que uma investigação completa e independente é necessária, com acesso livre e irrestrito à região.

Relembrando o artigo 2° da Declaração da ONU sobre a Proteção de Todas as Pessoas Contra os Desaparecimentos Forçados, o Presidente-Relator do Grupo de Trabalho sobre Desaparecimentos Forçados ou Involuntários, Jeremy Sarkin, afirmou que “sob nenhuma circunstância os desaparecimentos serão permitidos ou tolerados”.

Relatos indicam que as pessoas Nuban têm sofrido violência e práticas discriminatórias por se oporem ao Governo e apoiarem o SPLA. Depoimentos apontam que os Nuban têm enfrentado mortes, prisões arbitrárias, sequestros, ataques a igrejas e bombardeio aéreo em Kordofan do Sul. Também há relatos de testemunhas sobre valas comuns na região sendo cobertas por escavadeiras, aparentemente por soldados do Exército sudanês. O Governo do Sudão alega, no entanto, que apenas combatentes do SPLA foram atingidos, mas não civis.