Esforços globais levaram a importantes avanços no combate à pobreza extrema, diz Secretário-Geral da ONU

O objetivo de reduzir a proporção de pessoas que vivem na pobreza pela metade foi alcançado em 2010.

Secretário-Geral Ban Ki-moon, ladeado por Rebeca Grynspan do PNUD (direita) e Assessor Especial Jeffrey Sachs em conferência de imprensa sobre os ODM. (ONU / Mark Garten)O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, discursou em uma conferência na sede da ONU, durante um debate sobre os avanços dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), o projeto global para reduzir a pobreza pela metade, promover o acesso a educação e melhorar a saúde.

Ban expressou nesta quinta-feira (8/3) que focar em financiamentos e parcerias para o desenvolvimento gerou grandes resultados nos esforços globais para combater a extrema pobreza e facilitar o desenvolvimento social.

“Parcerias para o desenvolvimento funcionam”, disse, citando o anúncio do Banco Mundial de que o Objetivo de reduzir a proporção de pessoas que vivem na pobreza pela metade foi alcançado em 2010. Houve progresso no combate a tuberculose, com a redução de 40% de mortes comparado a 1990. As mortes por malária sofreram uma redução de um terço durante a última década. “Esses são grandes avanços. Os ODM trouxeram novas formas de medir os resultados, o que leva a uma maior responsabilidade”.

“Sabemos que lideranças nacionais são centrais para o sucesso. Sabemos que financiamento bem dirigido traz dividendos de desenvolvimento. Sabemos que inovações em tecnologia, medicina e políticas sociais podem trazer mudanças drásticas”, disse Ban.

Porém, os desafios ainda permanecem, como a desigualdade social global e entre regiões. Por exemplo, apenas 61% das pessoas que vivem na África Subsaariana têm acesso a fontes adequadas de água. Os 2,5 milhões de pessoas sem saneamento também tornam difícil alcançar a meta do saneamento dos ODM.

A Administradora Associada do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Rebeca Gryspan, ressaltou que pode ser feito mais até 2015. “Sabemos que muitos dos esforços precisam ser mantidos e, apesar do progresso real, há muitas pessoas ainda vulneráveis para alcançar e muitos países para ajudar”.

O Conselheiro Especial sobre os ODM da ONU, Jeffrey Sachs, disse que o que muitas pessoas acreditavam ser não mais do que uma “oportunidade de sair na foto” está se tornando a referência do progresso mundial, notando que o fim da pobreza já está à vista. “Agora estamos vendo o resultado e devemos partir deste ponto. Eu digo a vocês que as tecnologias nunca foram melhores, os sistemas nunca foram melhores… realmente nos aproximamos do ponto de inflexão. Todas as regiões estão experimentando uma redução na pobreza”.