Escritórios do PNUD no Oriente Médio criam plataforma de coordenação de ajuda para refugiados sírios

Em novembro, o PNUD também organizará o Fórum de Resiliência e Desenvolvimento, sediado pelo governo da Jordânia, para discutir os esforços coletivos internacionais sobre a formulação de um Roteiro de Resiliência para a Síria e os países vizinhos, que será uma importante peça na orientação das ações futuras.

Foto: PNUD/ 3rpsyriacrisis

Foto: PNUD/ 3rpsyriacrisis

Por causa da violência gerada por conflitos, cerca de 60 milhões de pessoas foram forçadas a deixar seus países. Neste ano, com a escalada dos embates no Oriente Médio, a expectativa é que esse número alcance níveis históricos. A Síria é o palco da mais preocupante crise do momento. A recente ocupação do Estado Islâmico em quase metade de seu território, somada à guerra civil, que se desenrola desde 2011 entre as forças leais ao presidente sírio Bashar al Assad, organizações jihadistas e forças curdas do norte, gera instabilidade local.

Quase metade da população síria está sendo forçada a fugir de suas casas, e quatro milhões a abandonaram o país. O conflito é fonte do maior fluxo migratório desde a Segunda Guerra Mundial e tornou-se uma das mais urgentes crises internacionais do momento, afetando não somente países vizinhos, como também países europeus.

Para responder a este cenário, o Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD) implementa um programa focado na resiliência de indivíduos e comunidades locais. Nos países vizinhos foram desenvolvidos programas de apoio aos esforços nacionais de gerenciamento do fluxo de refugiados e às comunidades que irão recebê-los. Em novembro, o PNUD organizará o Fórum de Resiliência e Desenvolvimento (RDF na sigla em inglês), sediado pelo governo da Jordânia, para discutir os esforços coletivos internacionais sobre a formulação de um Roteiro de Resiliência para a Síria e os países vizinhos, que será uma importante peça na orientação das ações futuras.

O Plano Regional para Refugiados e Resiliência (3RP na sigla em inglês) é um plano bienal (2015-2016), lançado em abril, que procura estabelecer uma estratégia de ação regional. Ele é resultado de uma parceria entre PNUD, o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) e diversas ONGs para buscar soluções das necessidades humanitárias dos mais vulneráveis, dos impactos socioeconômicos em longo prazo e da construção da resiliência na Síria e dos países mais afetados pela crise, entre eles Egito, Iraque, Jordânia e Líbano.

Com o objetivo de trazer visibilidade às ações desenvolvidas e solucionar problemas de financiamento, os escritórios do PNUD da região criaram um Portfolio Integrado de Projetos: plataforma online que mostra todos os projetos que necessitam de financiamento na Síria e nos países vizinhos. A plataforma também tem o intuito de trazer visibilidade às conquistas mais recentes na construção da resiliência nesses países.