Escritório da ONU discute parceria com Recife para combater consumo de drogas

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Para discutir parcerias pela prevenção do uso abusivo de substâncias ilícitas em Recife, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) reuniu-se na semana passada (10) com a Secretaria Executiva de Políticas sobre Drogas da capital pernambucana.

Durante o encontro, instituições avaliaram a possibilidade de cooperação no “Mobiliza Recife”, iniciativa que aposta no empoderamento de comunidades para combater o consumo de entorpecentes.

Usuário de crack mostra as pedras com mão queimada pelo uso da droga. Foto: Agência Brasil/Marcello Casal Jr

Usuário de crack mostra as pedras com mão queimada pelo uso da droga. Foto: Agência Brasil/Marcello Casal Jr

Para discutir parcerias pela prevenção do uso abusivo de substâncias ilícitas em Recife, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) reuniu-se na semana passada (10), em Brasília, com representantes da Secretaria Executiva de Políticas sobre Drogas da capital pernambucana. Durante o encontro, instituições avaliaram a possibilidade de cooperação no “Mobiliza Recife”, iniciativa que aposta no empoderamento de comunidades para combater o consumo de entorpecentes.

As estratégias da Secretaria Executiva se dividem em três pilares — prevenção, cuidado e reinserção social.

O “Mobiliza Recife” tem busca empoderar indivíduos, famílias, líderes locais, comunidades escolares e profissionais de assistência. Outro objetivo do programa é desenvolver programas genuinamente brasileiros de combate ao consumo abusivo de drogas.

A equipe da pasta municipal, composta pelo secretário-executivo de Políticas sobre Drogas, André Sena, pela gerente-geral de Operações, Mileane Aguiar, pela gerente de cuidado, Ana Paula Marques, e pela vereadora do Recife, Michelle Collins, foi recebida pelo representante do UNODC, Rafael Franzini, e pelo analista de programa da Unidade de Saúde e Desenvolvimento, Francisco Cordeiro, na sede nacional da agência da ONU, em Brasília.


Mais notícias de:

Comente

comentários