Escassez de financiamento obriga ONU a interromper subsídio de refugiados palestinos no Líbano

‘A partir de julho de 2015, mais de 43 mil palestinos refugiados da Síria no Líbano deixaram de receber a assistência para habitação mensal de 100 dólares’, declarou UNRWA.

Falta de fundos obriga UNRWA a suspender a assistência em dinheiro para a habitação para os refugiados palestinos da Síria no Líbano. Foto: UNRWA / Shafiq Fahed

Falta de fundos obriga UNRWA a suspender a assistência em dinheiro para a habitação para os refugiados palestinos da Síria no Líbano. Foto: UNRWA / Shafiq Fahed

Uma contribuição mensal de habitação por família para os refugiados da Palestina que fugiram da Síria para o Líbano será suspensa por causa da falta de fundos. O anúncio foi feito pela Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) nesta sexta-feira (22) ao apelar urgentemente aos doadores para fornecer o mínimo de assistência para proteger os palestinos de riscos catastróficos, como a detenção, o abuso e a deportação.

“A partir de julho de 2015, mais de 43 mil palestinos refugiados da Síria no Líbano que recebem assistência de caixa mensal de 100 dólares por família para habitação e 27 dólares por pessoa para comida deixaram de receber a assistência para habitação”, declarou a UNRWA em comunicado de imprensa emitido em Beirute, Líbano. A agência acrescentou que a ajuda em dinheiro para alimentos continuará nos próximos meses.

“Esta assistência é a principal fonte de renda para mais de 95% dos refugiados que têm pouco acesso a oportunidades de subsistência ou de quaisquer serviços públicos”, disse Matthias Schmale, diretor da UNRWA no Líbano. Ele também advertiu que “podemos ver mais e mais refugiados palestinos que fogem dessa dura realidade e tentam fazer o seu caminho através do Mediterrâneo para chegar à Europa”.

A agência apelou aos doadores para injetar imediatamente 30 milhões de dólares ao seu fundo de assistência emergencial. Até agora, o Apelo da UNRWA para a Crise Síria recebeu apenas 21% dos fundos necessários para 2015 e o subfinanciamento crônico para intervenções humanitárias na Síria continua a minar a capacidade da agência para sustentar as intervenções de emergência para salvar vidas.