Equipes e suprimentos do UNICEF chegam em áreas afetadas por novos casos de ebola na Libéria

“Sempre houve um risco de retorno do ebola na Libéria. Agora precisamos investir com tudo que temos para retornar ao número zero de casos”, disse o representante do UNICEF na Libéria, Sheldon Yett.

Menina lava suas mãos na escola primária Slipway, em Monrovia Central, a capital da Libéria. Foto: UNICEF/Irwin

Menina lava suas mãos na escola primária Slipway, em Monrovia Central, a capital da Libéria. Foto: UNICEF/Irwin

Em uma reposta rápida ao primeiro caso confirmado de ebola na Libéria após mais de três meses, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) começou a distribuir suprimentos de emergência nas comunidades afetadas que incluem tendas para isolamento em quarentena, kits de higiene, cloro e baldes para postos de lavagem das mãos. A Libéria foi um dos países da África Ocidental mais afetados pelo surto do vírus em 2014.

Em Margibi, onde um teste do UNICEF deu positivo para o vírus no dia 29, equipes de mobilização social do Fundo já estão no local realizando campanhas porta-a-porta para sensibilização sobre a prevenção do ebola, para minimizar o risco de novas infecções e assim proteger e assistir os afetados.

“Houve sempre um risco de retorno do ebola na Libéria. Agora precisamos investir com tudo que temos para retornar ao número zero de casos”, disse o representante do UNICEF na Libéria, Sheldon Yett. “A velocidade da resposta a estes casos mostra que ninguém baixou a guarda”. Em Guiné e Serra Leoa novas infecções continuam a ser relatadas, embora em números muito mais baixos do que no pico do surto. Até 28 de junho, 12 novos casos de ebola foram registrados na Guiné e oito em Serra Leoa, de acordo com o UNICEF.