Equipamentos de proteção comprados pelo UNOPS aumentam confiança de trabalhadores de saúde

Trabalhando com medo do desconhecido, os profissionais de saúde do Hospital São José, em Joinville (Santa Catarina) agora adotam novas rotinas para se proteger do novo coronavírus. Na área para pacientes com suspeita ou sintomas de infecção pela COVID-19, a equipe só entra utilizando Equipamento de Proteção Individual (EPI), o que tem aumentado a confiança dos profissionais.

Na semana passada, o hospital São José recebeu 200 macacões, 100 óculos, 350 caixas de luvas e 100 protetores faciais com viseiras comprados pelo Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Trabalhando com medo do desconhecido, os profissionais de saúde do Hospital São José, em Joinville (Santa Catarina) agora adotam novas rotinas para se proteger do novo coronavírus. Na área para pacientes com suspeita ou sintomas de infecção pela COVID-19, a equipe só entra utilizando Equipamento de Proteção Individual (EPI), o que tem aumentado a confiança dos profissionais.

O hospital municipal é parte da rede do Sistema Único de Saúde (SUS) e conta com um pronto-socorro exclusivo para pacientes que apresentam sintomas da doença provocada pelo novo coronavírus. A área foi totalmente isolada e tem equipes com dedicação exclusiva.

Quem conta é a enfermeira Camila Alves Leandro, coordenadora do pronto-socorro. Ainda não houve nenhum caso confirmado da COVID-19, mas cinco pacientes aguardam resultados de exames e uma servidora foi afastada por apresentar sintomas gripais, seguindo protocolo do Ministério da Saúde.

Antes da crise sanitária que atinge o mundo todo, alguns equipamentos, como macacões e protetores faciais, não integravam a rotina do local. Agora, eles garantem a proteção necessária para cuidar dos pacientes e ainda trazem conforto emocional, segundo Camila. Ela fala da angústia e comemora que ela e seus colegas podem ir para casa tranquilos, pois não vão contaminar seus familiares.

Os EPIs são apenas parte dos cuidados tomados pela equipe de servidoras e servidores do SUS. Camila diz que foi estabelecida uma rotina que inclui, por exemplo, tomar banho após o trabalho no hospital. Além disso, há informações com o passo a passo para se tirar o equipamento com segurança.

O plano de contingência preparado pelo hospital considera a possibilidade de ampliar a área restrita. “Nós estamos preparados para o pior, mas espero que possamos desmontar tudo sem usar”, diz Camila, esperançosa. A enfermeira acredita que ela e seus colegas sairão desta crise mais fortalecidos, como pessoas, como profissionais e como equipe. “Vemos como todos somos frágeis e entendemos que corremos os mesmos riscos”, relata.

Doação – Na semana passada, o hospital São José recebeu 200 macacões, 100 óculos, 350 caixas de luvas e 100 protetores faciais com viseiras comprados pelo Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS). O recurso para a compra do material foi destinado pela Procuradoria do Trabalho Municipal (PTM) de Joinville, ligada ao Ministério Público do Trabalho (MPT).