Epidemia de cólera poderá atingir 400 mil pessoas, alerta OMS

Organização Mundial da Saúde (OMS) e seu braço regional, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), estimam, com base na velocidade com que as pessoas estão sendo infectadas, que o surto de cólera que começou no final de outubro no Haiti poderá afetar 400 mil pessoas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e seu braço regional, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), estimam, com base na velocidade com que as pessoas estão sendo infectadas, que o surto de cólera que começou no final de outubro no Haiti poderá afetar 400 mil pessoas. Este é considerado o pior cenário, que é evitável se as respostas de prevenção e tratamento nas áreas pobres da capital, Porto Príncipe, e de outras cidades e regiões periféricas no país forem devidamente implementadas.

“Esta projeção é uma chamada à ação”, disse na última quarta-feira (24/11) a Subsecretária-Geral para Assuntos Humanitários e Coordenadora de Socorro de Emergência da ONU, Valèrie Amos, em visita à capital haitiana. “Precisamos investir na prevenção da cólera em todo o país e na construção de mais centros de tratamento. Precisamos também aumentar o número de trabalhadores de saúde em campo para apoiar o trabalho que já está sendo feito.”

“A epidemia ainda não atingiu seu pico. Se não respondermos rapidamente, mais gente vai morrer inutilmente”, alertou Amos. Até segunda-feira, 1.200 pessoas tinham morrido devido à cólera, porém especialistas afirmam que a doença – que se dissemina através da água e de alimentos contaminados – pode ter tirado a vida de mais de duas mil pessoas já que casos em áreas remotas não têm sido regularmente informados. A OMS estima que 50 mil pessoas estejam infectadas.