Enviado da ONU para o Líbano condena atentados no subúrbio de Beirute

Derek Plumbly pediu que o Líbano permaneça unido após as “ações terroristas terríveis e indiscriminadas”. Pelo menos oito pessoas foram mortas e dezenas feridas.

Área devastada por um ataque a bomba no subúrbio de Beirute em agosto de 2006. Foto: IRIN/Marie Claire Feghali (foto de arquivo)

Área devastada por um ataque a bomba no subúrbio de Beirute em agosto de 2006. Foto: IRIN/Marie Claire Feghali (foto de arquivo)

O coordenador especial das Nações Unidas para o Líbano, Derek Plumbly, condenou o duplo atentado ocorrido nesta quarta-feira (19) na área de Bir Hassan, ao sul de Beirute, que mataram pelo menos oito pessoas e feriram diversas pessoas. Um grupo ligado à Al-Qaeda assumiu a responsabilidade.

“O coordenador especial pediu que o Líbano permaneça unido em face de tais ações terroristas terríveis e indiscriminadas e proponha ações levando em conta medidas positivas tomadas há alguns dias, com a formação de um novo governo de união em torno de suas instituições estatais, incluindo o exército e as forças de segurança, para garantir a segurança e estabilidade do seu país”, disse um comunicado divulgado por seu escritório.

“Ele reiterou o compromisso da comunidade internacional em apoiar o Líbano nesses esforços.”

Pelo menos quatro pessoas foram mortas e dezenas feridas nos ataques. A imprensa afirmou que dois homens-bomba usaram um carro e uma motocicleta para promoverem as explosões perto de um centro cultural iraniano.

Plumbly saudou os recentes esforços das forças do exército e de segurança libanesas na detenção de suspeitos terroristas e na prevenção de ataques, afirmando que espera que os responsáveis pelo atentado e por todos os outros atos de terrorismo sejam levados à justiça o mais breve possível.

Chefe da ONU e Conselho de Segurança condenam ataques

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o Conselho de Segurança das Nações Unidas também condenaram veementemente o atentado.

Em um comunicado divulgado por seu porta-voz, Ban disse que tem conhecimento de que o exército libanês e as forças de segurança do país estão se esforçando para deter os suspeitos de terrorismo e prevenir os ataques. Ele pediu que os autores desses crimes sejam levados à justiça.

O Conselho de Segurança da ONU “reafirmou que o terrorismo em todas as suas formas e manifestações constitui uma das mais sérias ameaças à paz e à segurança internacionais e que quaisquer atos de terrorismo são criminosos e injustificáveis, independentemente de sua motivação, localização, tempo e autor”.